MENU

Fisiologia do Exercício

Estudantes realizam testes ergométricos para fixarem conhecimentos teóricos

às 18h42
No curso de pós-graduação em Fisioterapia Traumato Ortopédica e Esportiva, os alunos do módulo de Fisiologia do Exercício, tiveram a oportunidade de colocar em prática os conceitos aprendidos em sala de aula. Na Clínica-Escola do Centro Universitário Tiradentes – Unit, os 23 alunos puderam entender melhor como funciona o metabolismo durante um esforço (no treinamento).
Compartilhe:

Alguns estudantes executaram testes na esteira para que depois do exercício, os outros pudessem analisar a glicemia, a pressão arterial e analisar se havia alteração dos níveis de lactato – substância importante, que quando está em excesso, pode gerar uma série de desgastes musculares. Depois, eles deveriam pensar em maneiras de como melhorar esses níveis, o que ajuda na compreensão da importância dos exames e do condicionamento físico.

A aula teve propósitos dentro da ementa em algumas etapas, como as revisões voltadas a fisiologia do exercício, bioenergética, e a parte de como acontece os metabolismos aeróbico e anaeróbico. Ela serviu para os alunos aprenderem como isso ocorre aos pacientes da terapia durante a reabilitação da prática esportiva, ortopédica ou de um idoso.

Segundo o professor André Jarsen, um dos objetivos da aula, era que os estudantes entendessem como acontece esse gasto de energia e o que ele precisa pensar para aplicar isso no dia a dia deles.

“A pós é voltada para preparar o aluno para a prática e ser um especialista, então a finalidade era de unir a teoria baseada em evidencia, com a cotidiano: quantas repetições ele vai utilizar naquele exercício, o quanto de carga, por quanto tempo, como serão os treinos dos próximos dias e o que é necessário para atuar na reabilitação. Foram feitas varias abordagens teóricas e testes de limiar anaeróbicos. Foi bom para os alunos vivenciarem a complexidade da fisiologia, mas voltado para a prática, como deve ser feito, o que os motivaram para as próximas aulas”, explica André.

Compartilhe: