MENU

XI edição do Fórum de Desenvolvimento Regional reúne milhares de pessoas

Evento contou com prestação de serviços gratuitos para mais de três mil pessoas

às 20h35
Neste sábado, 5, o Centro Universitário Tiradentes – Unit abriu as portas para receber a sociedade alagoana para a XI edição do Fórum de Desenvolvimento Regional, evento que acontece em parceria com a Defensoria Pública de Alagoas e com o Tribunal de Justiça/AL. Todos os atendimentos gratuitos e a celebração do casamento coletivo aconteceram no campus Amélia Maria Uchôa, em Cruz das Almas.
Compartilhe:

O mutirão tem o objetivo de fomentar o ensino-aprendizagem de seus alunos e exercer o compromisso de promover o desenvolvimento social e a prática da cidadania. Durante a manhã todas as pessoas que passaram pelo campus puderam ter direito aos serviços: emissão da primeira via do RG e CPF, cuidados pertinentes à saúde bucal, limpeza, aplicação de flúor, vacinação, verificação da pressão arterial, orientação para prevenção de doenças, distribuição de preservativos, teste de glicemia, teste micológico, vacinação e verificação das taxas de glicose.

“Os estudantes do curso de Medicina, juntamente com os demais cursos da área da saúde, fizeram uma integração para que as atividades da área fossem integradas. Então nós integramos a Medicina, Biomedicina, Enfermagem, Nutrição e fizemos um acompanhamento, com aferição de pressão arterial, glicemia capilar de medidas antropométricas e após isso, será feito um encaminhamento aos especialistas no ambulatório da Unit, no hospital do açúcar, e também na unidade de docência assistencial”, destaca a professora e Fisioterapeuta Ana Carolina Calles.

Na parte de estética, foi ofertado ao público o serviço de limpeza de pele, que atende à área da Fisioterapia dermatofuncional. Homens e mulheres fizeram fila para cuidar e melhorar a cútis com os alunos do curso de Fisioterapia, promovendo o bem-estar e a saúde dos atendidos.

Os alunos do curso de direito, juntamente com seus professores promoveram o mutirão de julgamentos cíveis de processos consensuais (Divórcio consensual, Acordo de Alimentos, Regulamentação de Guarda e Visitas de forma consensual; Reconhecimento e Dissolução de União Estável Consensual), bem como de processos de Jurisdição Voluntária (Retificação de Registro Civil; Suprimento de Óbito; Alvará Judicial por óbito e de Pensão de Alimentos Retida).

“O estudante de Direito pode levar para a sua vida profissional todo o conhecimento das ações de jurisdições voluntárias, bem como poder identificar quais documentos são necessários para a propositura dessas ações, para que ele tenha uma visão de diferenciar os processos de jurisdição voluntária e os de jurisdição contenciosa. Nós estamos julgando aqui no Mutirão, no dia de hoje, somente os processos que estão voltados à jurisdição voluntária, aqueles processos que as partes estão em consenso, que não há nenhum litígio, como também estamos promovendo a cidadania com a emissão de documentos (RG e CPF). Além disso, temos uma ação muito inovadora neste ano, que é a retificação do nome no registro civil dos transgêneros”, reforça a coordenadora do curso de direito Karol Mafra.

Karol finaliza dizendo que a sensação que todos os colaboradores que trabalham no Mutirão, não somente os professores, a gestão do curso, o NPJ, todos os envolvidos – incluindo o reitor – é a sensação de dever cumprido, de ter uma responsabilidade social junto ao nosso estado, não somente no processo de ensino e aprendizagem, mas de fazer com que o nosso aluno tenha uma formação efetivamente humanística, aprendendo também a ajudar a sociedade. “Saímos ontem de meia noite, para estarmos aqui as 4h da manhã e organizarmos toda uma ação que realmente busca prestar a cidadania e julgamento de processos a mais de 3.000 pessoas”.

Ao longo da programação da manhã o evento ofereceu diversas oficinas para todos aqueles que passavam pelo campus e o coordenador do curso de Engenharia Civil, Felipe Bonfim, comenta como foi à experiência entre os alunos e a sociedade. “Os alunos de Engenharia Civil puderam auxiliar a população na parte de conscientização da reutilização de materiais na construção civil. Colocamos três atividades voltadas à população que foram: orientações para minimizar os riscos de moradias em encosta, construímos e estamos dando dicas de como fazer um telhado verde usando garrafa pet para contribuir na redução de calor nas residências e reaproveitamento da água da chuva para uso doméstico. Os alunos prestaram esse atendimento sob orientação dos professores e ultimamente no curso de Engenharia Civil, os estudantes vêm fazendo trabalhos mais voltados à comunidade, pensando em minimizar custos, riscos, desgaste de materiais, então os alunos estão gostando muito da experiência e aprendendo que não adianta somente focar nos estudos, se este não for associado a sustentabilidade. A indústria da construção civil serve para isso, para o progresso, então temos que atrelar tudo isso a projetos sustentáveis”.

O mutirão também conta com a coordenação da equipe de Extensão da Unit e o coordenador Ray Lima ressalta a importância de sua realização. “Os principais objetivos do evento envolvem o desenvolver das habilidades de extensão universitária – onde todos os alunos envolvidos, de todos os cursos de graduação – para que esses estudantes possam colocar em prática o que aprendem em sala de aula e garantir os processos de responsabilidade social. O papel da instituição no Fórum, é justamente de atender a toda comunidade no entorno da instituição e a todos que necessitam desses serviços”.

“São em oportunidades como essas que a Unit reforça seu compromisso com o desenvolvimento da sociedade alagoana, onde toda a comunidade acadêmica se junta para promover um evento como esses. Estamos muito felizes com mais uma edição do Fórum e não temos dúvida que outras virão. Hoje Alagoas está ganhando muito com todos os serviços que foram ofertados e brindamos o dia com a celebração do casamento coletivo que reuniu 200 casais”, afirma o reitor da Unit, Dario Arcando de Santana.

Casamento Coletivo

A cada nova edição do Fórum de Desenvolvimento Regional novos casais buscam oficializar seus matrimônios e neste sábado, 200 casais puderam realizar o grande sonho de registrar suas uniões no civil. Assim é a história da Erika Amanda Santos e Carlos Alexandre Vieira, que possuem um relacionamento há mais de quatro anos e decidiram aproveitar o mutirão para registrar os votos.

“Nós somos evangélicos e entendemos que para fazer a obra do senhor devemos estar casados, com tudo certinho, como manda o figurino. Estamos muito felizes com essa oportunidade e só temos a agradecer. Está tudo muito lindo e esperamos muito por esse momento, a Unit está de parabéns por promover eventos dessa natureza”, finaliza Erika.

O casamento foi celebrado pelo Juiz André Gêda, que aproveitou a oportunidade para trazer uma reflexão sobre o significado do matrimônio. “Quando decidimos estar ao lado de outra pessoa diante do matrimonio, escolhemos o respeito, a admiração e o amor como prioridades. Que a partir de hoje vocês possam ser ainda mais felizes”.

Compartilhe: