MENU

Unit/AL inicia programação da 8ª edição da Semana de Extensão

Programação conta com simpósios, cursos, oficinas, mesas redondas, palestras e webinars

às 20h49
Prof. Reitor Dario Arcanjo participa de abertura da Semex 2020
Prof. Reitor Dario Arcanjo participa de abertura da Semex 2020
Palestra Magna com Prof. Dr. Álvaro de Azevedo Gonzaga
Compartilhe:

Criada para difundir, ampliar e a analisar as práticas de extensão universitária desenvolvidas pela comunidade acadêmica alagoana, o Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), iniciou nesta terça-feira (22), a oitava edição da Semana de Extensão (Semex). Com o tema ‘Transformação Social: Visão Global, Ação Local’, o evento atende às recomendações de saúde em prevenção a Covid-19, e dessa forma, acontece em formato virtual, via Google Meet, onde será feita a apresentação oral de trabalho pelos discentes.

A 8ª Semex teve início com uma homenagem às vítimas da Covid-19 e aos profissionais e professores da saúde, com as cantoras Maria Clara Regis e Maria do Carmo Regis. No primeiro dia de atividades, a programação trouxe ainda a palestra magna ‘Verdade, mentira e simulacro: a pandemia e as fakes news’, ministrada pelo Prof. Dr. Álvaro de Azevedo Gonzaga, livre docente em filosofia do Direito pela PUC-SP.

Ele iniciou a apresentação destacando a importância do estudo e da reflexão para compreender melhor o universo e a sociedade global e local, lembrando que a capacidade de reflexão é o que distingue a raça humana dos animais irracionais. 

“Nós humanos imitamos, repetimos e refletimos. O aluno que quer estender o conhecimento e participar da extensão tem que praticar a reflexão. Ela é a capacidade que tenho de pensar a partir de uma realidade, ou situação. Não podemos parar de estudar. Títulos são importantes, mas precisamos estudar pelo aprendizado”, apontou. 

Filosofia, história e contemporaneidade

O professor também ressaltou a relevância da filosofia e da história para compreensão da verdade: “Precisamos entender a nossa filosofia, refletir a nossa história para entender onde estamos. Como entendemos a realidade sem observar a história? Tivemos mais de 380 anos de escravidão contra mais ou menos uns 130 sem escravidão. É muito pouco. Nossa constituição é nova. Precisamos entender tudo isso e a filosofia é importante para compreendermos esse momento”.

O professor ainda abordou, aplicados aos dias atuais, o conceito de pós-verdade, citou o ministério da verdade, da obra ‘1984’, do escritor britânico George Orwell e o conceito de modernidade líquida, do sociólogo polonês Zygmunt Bauman. Também trouxe o conceito de pós-modernidade dentro da pandemia e como ele impacta na percepção da grande quantidade de mortes causadas pela doença. 

“A pós-modernidade nos trará a ideia de naturalização do uniforme, das mortes. Nós temos uma nova dimensão de morte depois da pandemia, em que não conseguimos entender o que são 150 mil mortos, pois eles crescem dia a dia. Esse número é maior que o número de mortes em outros eventos que chocaram o Brasil e no mundo”, afirmou. 

Fake news e a busca por verdades próprias 

O professor destacou que a sociedade passa por mudanças rápidas, principalmente após o boom das redes sociais e a possibilidade de qualquer um poder produzir conteúdo. Esse cenário, segundo ele, faz com que alguns fatos percam a importância, a verdade líquida ganhe força e as pessoas passem a buscar as próprias verdades, fator que faz nascer as fake news, alimentando grupos de ódio e influenciando processos eleitorais como nos EUA em 2016 e no Brasil em 2018, independente de espectro político, segundo ele. 

Álvaro Gonzaga também listou algumas notícias listadas no site do Ministério da Saúde, e rotuladas entre fato ou fake. “A partir do momento em que torno relativa a verdade, começo a selecionar as verdades que me convém, as subjetivas, obtusas e parciais. O Ministério da Saúde, por exemplo, tem que falar o que é fake news porque muita gente seleciona as verdades que convém”, concluiu.

Unit/AL também de reinventou

O reitor da Unit/AL também deu as boas vindas aos participantes da Semex. Ele lembrou que a pandemia do novo coronavírus trouxe à tona diversas reflexões e obrigou a humanidade a se repensar e reinventar no campo pessoal e profissional, citando a própria Unit/AL e o fato da instituição ter dado continuidade às suas atividades, nesse contexto.

“Mesmo nesse momento de restrição social, o Centro Universitário Tiradentes não poderia deixar de realizar sua programação acadêmica para que possamos manter a qualidade da formação dos nossos alunos. Parabéns à comissão organizadora e aos nossos parceiros que são fundamentais para a realização da Semex”, disse Dario Arcanjo.

Conteúdo disponível

A palestra pode ser revista na íntegra pelo link: https://youtu.be/KdisY1iHrMI. A programação completa do evento, que contará com simpósios, cursos, oficinas, mesas redondas, palestras e webinars pode ser acompanhada através do site: https://al.unit.br/semex/.  

A oitava edição da Semex é promovida pela Unit/AL em parceria com o Sebrae Alagoas, Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH/AL), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Alagoas (Abrasel/AL), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio/AL) e Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal).

Por João Paulo Macena – Algo Mais Consultoria e Assessoria

Compartilhe: