MENU

Sempesq: Capitalismo de Vigilância e plataformas digitais foram tema de palestra

Tema trouxe reflexões críticas em torno da dependência e consumo no meio digital

às 21h20
Compartilhe:

As transformações do capitalismo no meio digital têm provocado várias reflexões entre pesquisadores da área e nesta última terça-feira (09), o tema foi discutido na palestra “Capitalismo de Vigilância e Colonialismo Digital” ministrada pelo professor do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas (Sotepp) da Unit Alagoas, Pedro Simonard.

A ideia da palestra foi discutir este momento atual do capitalismo, reconhecido por diversas nomenclaturas diferentes, que usa os algoritmos para vigiar as pessoas e extrair delas um superavit de comportamento.

“Gostos pessoais, produtos comprados e as pessoas com quem você conversa são alguns exemplos de dados que empresas como Amazon, Apple e Facebook utilizam para vender para outras empresas específicas”, explicou o professor.

De acordo com Simonard, esses dados são fornecidos de forma inconsciente, ao contrário do nome, e-mail ou CPF presentes em cadastros de alguns sites. Este fato acaba criando um coronelismo digital, uma dependência em países como o Brasil que não tem o controle de como essas plataformas são desenvolvidas e como usá-las.

“No coronelismo tradicional, os países invadiam outros para controlar o mercado ou extrair matéria-prima. Hoje isso continua no meio digital com os dados que são extraídos de países colonizados criando uma submissão econômica e cultural. Dessa forma há uma relação clara entre capitalismo da vigilância e coronelismo digital”, finaliza.

Compartilhe: