MENU

Saiba mais sobre alimentação e nutrição em tempos de Coronavírus

Confira as orientações da professora Danielle Alice Vieira da Silva, Mestre em Nutrição Humana e docente do curso de Nutrição da Unit

às 14h17
Danielle Alice Vieira da Silva, Mestre em Nutrição Humana e professora da Unit
Danielle Alice Vieira da Silva, Mestre em Nutrição Humana e professora da Unit
Compartilhe:

Em tempos onde se vive uma pandemia gerada pela infecção por Coronavírus causando a doença denominada como COVID-19 a frase clichê ganha todo sentido: “Prevenir é o melhor remédio”. E por se tratar de uma infecção, ajustes na alimentação podem contribuir para manutenção e/ou melhora do sistema imune.  

O nosso sistema imune corresponde a um complexo grupo de reações e mecanismos celulares que combatem corpos estranhos, todavia para seu bom funcionamento a literatura já evidência que o status de diversos micronutrientes (vitaminas e minerais) precisa está adequado. Lembrando que essa prática precisa ser continua, então de nada adianta aumentar o consumo de alimentos ricos em compostos bioativos, vitaminas e minerais apenas em um dia. Constância é o segredo!  

Ainda não há nenhuma evidência especifica relacionado a alimentação e prevenção à infecção por Coronavírus, mas salienta-se a importância de seguir as recomendações gerais de alimentação saudável.

Confira as dicas de alimentação: 

1. Faça de alimentos in natura a base da sua dieta. Frutas, vegetais, cereais, oleaginosas.  

2. Evite alimentos ultraprocessados: salgadinhos prontos para consumo, embutidos (salsisha, presunto, linguiça), macarrão instantâneo, biscoitos, etc.  

3. Mantenha o consumo diário de 35-40 ml de água por cada kg que você pesa, isso contribuirá para uma adequada hidratação;  

4. Fiquem atentos as fakes news, não caiam no conto das porções milagrosas: shots, misturas e condutas sem embasamento cientifico, mas que prometem lhe blindar de possíveis infecções;  

5. Certifique-se de higienizar adequadamente os alimentos e as mãos;  

6. Procure um nutricionista, sobretudo se você fizer parte do grupo de risco. O Conselho Federal da categoria liberou as consultas online durante esse período de pandemia.  

Cuidado com idosos

É importante registrar também que recentemente a Sociedade Internacional de Imunologia emitiu posicionamento onde ressalta a importância de aumentar a oferta de alguns micronutrientes nos idosos: Vitamina C : 200 mg a 2g ao dia (alimentos : frutas cítricas-limão, laranja, kiwi, acerola, folhosos, pimentão); Vitamina E : 134 mg – 800 mg ao dia (alimentos : castanhas, sementes, amendoim, espinafre, brócolis ); Vitamina D: 10-100 microgramas ao dia (alimentos: leites enriquecidos, ovo, fígado, sardinha, cogumelos), sobretudo para quem apresenta deficiência constatada por exame; Zinco: 30 mg ao dia (alimentos: carnes bovinas, carnes suínas, sementes). 

A depender da rotina alimentar do idoso esses requerimentos não serão supridos 100% pela dieta, havendo a necessidade de suplementação, mas não esqueçam: essa conduta deve ser avaliada e prescrita por um profissional nutricionista habilitado. Não é aconselhável a suplementação sem prescrição. 

Confira aqui as dicas da Eleve Nutrição Personalizada.

Veja também: Coronavírus. Como Lidar com o isolamento social.

Por Danielle Alice Vieira da Silva – Mestre em Nutrição Humana, Docente do Centro Universitário Tiradentes-AL, Idealizadora da Eleve Nutrição, Coordenadora da Liga de Nutrição nas Doenças Crônicas Não Transmissíveis (LANCRO-UNIT) e Vice coordenadora do Grupo de Estudo em Obesidade (GEO). 

Compartilhe: