MENU

Saiba aqui alternativas para o aumento do custo de vida em Alagoas

Especialista dá dicas e recomendações para este período delicado

às 17h13
Compartilhe:

O aumento recorrente das contas de água, energia, do combustível e do valor cesta básica tem deixado muitas famílias preocupadas. As despesas vem aumentando de uma maneira desproporcional e de acordo com dados da quarta edição do Boletim de Desigualdades nas Metrópoles, realizada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), a renda domiciliar em Alagoas, caiu 1,5% este ano quando comparada com 2020 e a disparidade entre ricos e pobres cresceu 54,6 vezes no estado.

De acordo com o Assessor Financeiro da Unit Alagoas, Matheus Lisbôa, o aumento nos preços que estamos vendo hoje tem impacto direto no custo de vida de todos nós, e que infelizmente nos força na maioria dos casos, a ter que fazer escolhas difíceis em relação ao que consumir.

Como solução, Matheus sugere anotar quais são os gastos mensais e separar entre o que é essencial e o que é supérfluo. A partir disso, deve-se pensar no que será cortado, e que hábitos serão mudados. “Tratando por exemplo a alimentação, para muitos que almoçam sempre fora de casa, com o aumento dos preços, vale apenas começar a fazer sua marmita em casa e levar para o trabalho, além de optar por produtos mais baratos no momento de fazer a feira, isso pode gerar uma economia relevante. Ainda falando de comida, em momentos como este devemos diminuir a quantidade de pedidos nos aplicativos de entrega no mês” pontua.

Outra ação importante que o assessor indica é avaliar em casa gastos que são essenciais, mas que se é possível negociar o valor ou fazer um “downgrade” no serviço, como no caso de planos de telefone e internet. De acordo com ele, nesses momentos as operadoras entendem que para manter o cliente é necessário fazer algumas concessões, então antes de cancelar serviços como esse, vale a pena ligar e pedir descontos.

Esta mesma tática vale para o aluguel. Se o inquilino é um bom pagador, vale a pena tentar fechar um acordo com o proprietário no qual o aluguel continue sendo pago, mas num valor menor, mesmo que temporariamente.

Matheus também recomenda que para ter uma alternativa de renda o empreendedorismo pode ser uma saída, mesmo com um pequeno negócio como a venda de doces ou se cadastrando em aplicativos de trabalhos e sites de freelancers, onde podem ser encontrados trabalhos simples e bem pagos. “O segredo nesses períodos, é o consumo consciente. Teremos que talvez abdicar de um pouco de qualidade de vida, mas que é um preço baixo pela paz de se ter suas obrigações em dia”, finaliza.

Compartilhe: