MENU

Psicólogos Alagoanos são aprovados em Mestrado de Universidade Portuguesa


às 13h43
Alagoas é celeiro de grandes talentos profissionais e de tempos em tempos os Nordestinos se destacam na cena nacional e internacional. Os Psicólogos Ananda Stuart Rodrigues Rocha Mendonça (CRP 15/5575), Maria Mariana Gaia de Aquino Meneses Dias (CRP 15/4907) e Vitor Coelho Batista da Luz (CRP 15/4906) construíram sua trajetória profissional em Maceió – AL e agora desembarcam em terras lusitanas para se aperfeiçoarem ainda mais profissionalmente. Eles foram aprovados no mestrado em Temas de Psicologia da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto - FPCEUP, em Portugal e as aulas começam neste mês de setembro.
Compartilhe:

O Mestrado em Temas de Psicologia da FPCEUP tem como objetivo geral a qualificação de profissionais com formação em várias áreas, de modo a capacitá-los/as para o desempenho da sua atividade com conhecimentos e competências aprofundadas em temas de Psicologia. O curso oferece aos estudantes uma formação nos métodos científicos usados para descrever, predizer, compreender e explicar o comportamento humano numa variedade de temas específicos. As áreas temáticas em 2019/2021 são: Neurocognição e Linguagem, Psicogerontologia, Psicologia do Comportamento Desviante e da Justiça e Psicologia do Desenvolvimento e Educação da Criança: Proteção e Direitos da Criança. 

Ananda Stuart Rodrigues Rocha Mendonça (@psicologiapelomundo_) desde pequena sentia que sua missão e propósito na terra era ajudar pessoas e foi dentro do processo de Psicoterapia que ela começou a se conhecer ainda mais, descobrindo a Psicologia e suas nuances restauradoras de vidas. Deste momento em diante ela começou suas pesquisas em relação ao curso e a profissão, conseguindo assim ampliar sua visão e enxergar o que sempre buscou. 

Sua primeira escolha acadêmica foi o curso de Arquitetura, mas a Alagoana conta que não se sentia realizada, entendia que aquele não era seu propósito existencial e rendeu-se ao chamado da Psicologia. Ananda conta que nesta nova área escolhida ela sentia que tudo estava sendo diferente, que é isso que precisava ser feito. “Como costumo dizer, a Psicologia que me escolheu e me encontrou, eu só me permiti viver essa vocação”, confessa.

Sua trajetória acadêmica sempre foi pautada em cima de muito estudo e dedicação, buscando estudar e se aperfeiçoar além do que a faculdade oferecia. Ela conta que ao longo dos estudos ela teve excelentes professores e profissionais os quais foram fundamentais para construção da sua formação, sendo verdadeiras inspirações. 

“Posso afirmar que ao olhar para trás e relembrar os cinco anos de graduação, consigo me orgulhar de tudo que tracei e construí, tanto quantitativamente em relação a notas e principalmente de forma qualitativa. Aproveitei ao máximo tudo que minha faculdade ofereceu como cursos, projetos de pesquisa, palestras, além de formações e eventos fora e sei que meu rendimento foi tão bom graças a todos esses fatores também. Na parte profissional, costumo dizer que tive sorte em conhecer pessoas tão incríveis e competentes que foram essenciais em todo meu processo de aprendizado e atuação, realizei os estágios curriculares (ofertados na graduação) e extracurricular nas áreas clínica e organizacional, e creio que em ambos consegui deixar marcas positivas, além de terem sido de suma importância para a união dos conhecimentos teóricos e práticos”, afirma a Nordestina.

Primogênita do Analista de Sistemas, Cristhiano Carnaúba e da Arquiteta & Urbanista, Mônica Stuart, Ananda é a irmã mais velha de seus dois irmãos Arthur (24) e Leonardo (11). Aos seus 25 anos ela resolveu alçar um voo mais alto e desembarcou em Portugal para se especializar em Psicoterapia e Psicopatologia da Criança e do Adolescente no Instituto Português de Psicologia. A novidade para este ano de 2019 é que ela também integra a lista dos aprovados para o Mestrado de Psicologia da Universidade do Porto, seguindo pela linha da Educação da Criança: Proteção e Direitos da Criança. 

Quando o assunto é saudade a Psicóloga confessa, “Sinto muitas saudades da família e amigos que deixei em Maceió, como também da nossa cultura que é muito única e acolhedora, porém um dos motivos que escolhi Portugal foi exatamente por ser um dos países mais parecidos com o nosso, isso ajudou no quesito da adaptação, além do que sei que é necessário às vezes abrir mão, temporariamente, de algumas coisas pra poder alçar outros voos. Fora o fato que desde o início que decidi me organizar para vir, venho tendo um grande incentivo da família, amigos e professores e sei que apesar da saudade ser grande, estão todos muitos felizes e orgulhosos com essa oportunidade, então esse suporte e apoio já são grandes combustíveis para mim”.

Ananda finaliza falando de como se sente para o início das aulas, “As expectativas são bem grandes, apesar de já estar vivendo em Portugal há quase um ano, espero que essa nova experiência abra horizontes para a minha carreira profissional, além do que terei contato com outras linhas de estudo e essa partilha de conhecimentos com certeza será muito rica e proveitosa. Além da busca por mais conhecimentos e pesquisas, desejo seguir carreira acadêmica, então por isso venho traçando os passos necessários para poder atingir esse objetivo no futuro”.

A Psicologia para Mariana Gaia (@PsicoMarianaGaia) nunca foi um sonho, nada muito planejado, são aquelas coisas da vida que “estava escrito”. Ela decidiu fazer essa faculdade ao fim do seu 3º ano do ensino médio e já no 1º semestre do curso ela se deu conta que era aquilo que ela queria fazer pelo resto de sua vida. “Sempre gostei muito de refletir e falar sobre a vida, mas tudo não passava de especulações e opiniões sem qualquer embasamento teórico-científico. Quando então percebi que poderia falar e intervir sobre tudo isso de forma técnica, profissional, me encantei e me entreguei a essa possibilidade que hoje é algo real. Transformar-me, relacionar-me, estar com pessoas de diferentes contextos; poder partilhar momentos, histórias de vida de alguém que me permite participar do seu processo tão único de individuação e, através disso, perceber a versatilidade infinita da vida constatando que – como psicóloga – posso ser mulher, homem, filho, criança, avó, mãe, pai. Dentre as poucas certezas que tive/tenho em minha vida, uma delas é: eu quero contribuir com o mundo. E a psicologia me permite isso”.

Sua trajetória acadêmica foi marcada por muitas experiências especiais e uma delas foi o encontro com seus mestres, cujos quais foram responsáveis por mostrar-lhe o caminho. Com o passar das disciplinas ela foi percebendo o viés que gostaria de seguir na Psicologia e os investimentos em cursos, formações e congressos começaram a surgir, tudo isso a fim de otimizar seu tempo para fortalecer sua face profissional. Tal  atitude foi essencial para abrir portas de trabalho no futuro. Ela já atuou em casa de adoção, unidade de internação de menores infratores, administração pública (psicologia organizacional), escolas, dentre outras, lugares esses os quais a ajudou a traçar novas metas e alçar voos mais altos. 

Ainda na graduação Mariana decidiu fazer dois intercâmbios para trabalho voluntário através da AIESEC (Association Internationale des Etudiants en Sciences Economiques et Commerciales). O primeiro foi realizado com crianças de uma ONG na periferia da cidade de Bogotá – Colômbia e o segundo foi no Perú, na cidade de Trujillo, onde trabalhou com idosos que viviam na zona rural. Em ambos ela pode desenvolver-se enquanto ser humano e perceber o quanto crescemos quando partilhamos e o quanto a psicologia pode ser um instrumento de mudança em qualquer lugar do mundo, seja qual for o objetivo, desde que seja aplicada com responsabilidade e coerência.

Com a aprovação no mestrado em Temas da Psicologia na Uporto Mariana confessa como se sente. “O Mestrado irá me proporcionar experiência em pesquisas na área a que se destina. Me permitirá um maior entendimento do comportamento humano dentro das realidades sociais em diferentes contextos, além disso, a convivência com alunos e profissionais de diferentes nacionalidades e culturas, certamente ratificará a ideia de que seja qual for a nossa nacionalidade ou cultura, estamos aptos a diminuir a distância entre a realidade que temos e a que queremos – de igualdade e justiça social, direitos respeitados e saúde mental acessível a todos. Hoje vivo um sonho, a carreira acadêmica sempre foi um desejo íntimo, então hoje me sinto realizada, mesmo ainda não tendo alcançado tudo o que desejo, nem espero tão cedo alcançar, afinal, que graça teria a vida se não tivéssemos mais o quê buscar?”

“Se eu puder dar um conselho aos acadêmicos é: se dediquem aos seus trabalhos como se cada um fosse o TCC, estudem para as matérias (mesmo a que se tem menos afinidade) como se você fosse se especializar naquilo, tente ver uma chance de crescimento em cada oportunidade, porque é daí que a gente cresce. É a nossa inquietação que nos move. Parece clichê, mas é sempre bom lembrar que nenhuma porta se abre sem que estejamos preparados para passar por elas, então, quando parecer que está difícil, que tudo parece longe demais, se permita acreditar que o seu lugar está reservado e continue perseguindo o desejo de alcançá-lo”, aconselha a Psicóloga.

Vitor Luz (@PsicologoVitorLuz) possui graduação em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas e também é graduado em Psicologia pelo Centro Universitário Tiradentes – Unit AL. Ele conta que sua carreira sempre foi planejada desde o seu segundo grau, ainda muito jovem ele já sabia o que desejava ser quando crescesse. Sua primeira opção enquanto formação foi em Jornalismo, o que permite com que ele atue até hoje como Assessor de Comunicação e após uma década ele foi escolhido pela Psicologia. 

A Psicologia surgiu em sua vida por uma identificação gigante com o comportamento humano e com as nuances do ser humano diante da sociedade. Apaixonado por gente e encantado pela evolução que as pessoas podem alcançar, ele investiu esforços na busca de mais conhecimento e foi ai onde se encontrou no Coaching e na Programação Neurolinguística – PNL. Estudar no exterior sempre foi um sonho antigo do Alagoano, suas experiências internacionais foram em alguns eventos e cursos, mas desta vez ele chega às terras lusitanas para passar uma temporada de dois anos a fim de vivenciar o Mestrado na área de Psicogerontologia.

A preparação para o curso de mestrado iniciou há um ano e meio atrás, ele conta que o processo seletivo é criterioso e exige uma lista de documentos que precisam ser reconhecidos em cartório e apostilados pela Convenção de Haia. O edital orienta o que deve ser feito e os prazos de candidatura que os candidatos devem respeitar. Após a primeira fase da seleção os aspirantes a vaga são entrevistados pelos professores e coordenadores do curso, que perguntam o porquê da escolha daquele mestrado, qual a disposição do aluno para acompanhar as aulas e também passam alguns informes importantes.  

“Estou onde sonhei estar, essa aprovação neste mestrado representa uma conquista gigante para minha vida pessoal e profissional. Gratidão é a única palavra que me preenche neste momento, gratidão a todos os meus professores, aos meus familiares e a todos aqueles que contribuíram direta ou indiretamente na minha construção enquanto ser humano. A expectativa para vivenciar novos conhecimentos é grande e acredito que essa será uma das melhores experiências acadêmicas da minha vida”, finaliza Vitor Luz. 

Compartilhe: