MENU

Professora de Nutrição defendeu tese sobre tratamento de colite ulcerativa

Maria de Lourdes Azevedo tornou-se Doutora em Ciências pelo Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal)

às 18h22
Maria de Lourdes Azevedo
Maria de Lourdes Azevedo
Compartilhe:

A docente do curso de Nutrição do Centro Universitário Tiradentes – Unit Alagoas, Maria de Lourdes Azevedo, defendeu sua pesquisa de doutorado elaborada em forma de ensaio experimental na qual avaliou o efeito preventivo e antioxidante do uso de um extrato de Aloé associado ao extrato da cúrcuma longa no tratamento da colite ulcerativa, um tipo de doença inflamatória intestinal que atinge a camada interna que reveste o cólon e o reto. A tese foi resultado de quatro anos de estudo no Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

O interesse pela pesquisa de doutorado se deu como continuidade do que já vinha sendo pesquisado. “No Mestrado em Nutrição eu estudei os efeitos do estresse oxidativo causado pelo trabalho do corte de cana e como uma alimentação adequada e suplementada com antioxidantes poderia recuperar o estado nutricional e de saúde destes trabalhadores braçais. Partindo dessa pesquisa foi que eu me interessei por essa linha de estresse oxidativo, antioxidantes e alimentos/nutrientes. Posso dizer que o doutorado foi uma consequência de gostar dessa linha de pesquisa”, explica. 

A professora conta que sempre quis seguir na carreira acadêmica pois sempre participou de projetos de Iniciação Científica e foi bolsista desde o início da sua graduação, sem falar também dos mestres que a incentivaram na pesquisa.

“O doutorado é uma etapa muito importante na vida do pesquisador por ser uma fase que exige muita dedicação (mas muita mesmo) e um aprofundamento científico intenso. Então, o título de doutor é uma grande conquista, principalmente para uma mulher, pesquisadora e vinda de escolas públicas. Suor e lágrimas que me orgulho bastante. Espero poder inspirar meus alunos na pesquisa tanto quanto fui inspirada pelos meus mestres” comenta destacando a sua empolgação quando consegue contagiar seus alunos para o ambiente da pesquisa.

Hoje a docente possui três projetos de Iniciação Científica em andamento além de coordenar a Liga Acadêmica de Nutrição Comportamental – LAINC e ser assessora da Coordenação de Extensão da Unit Alagoas.

Para ela, a pesquisa científica é uma parte importantíssima no desenvolvimento de um aluno porque através dela se aprende um contexto mais amplo da área, acrescentando pontos que não conseguem ser explicados numa sala de aula convencional.

“Quando você se aprofunda numa temática, você vai querer entender mais para ajudar mais e, consequentemente pesquisar mais. É um ciclo que aprendizado essencial para a atualização das profissões, para as novas descobertas de tratamento ou de desenvolvimento de políticas públicas buscando resolver um problema ou atender a uma necessidade de um público X”, conclui.

Compartilhe: