MENU

Por que consumir vitamina C com frequência pode ser prejudicial?

Recomenda-se que o adulto deve consumir ao dia cerca de 2.000 miligramas

às 21h35
Compartilhe:

A vitamina C é a mais conhecida entre as vitaminas, e é essencial para o funcionamento dos vasos sanguíneos, formação e crescimento de peles, ossos e tecido conjuntivo. Além disso, ela ajuda a manter gengivas e dentes saudáveis, auxilia na absorção de ferro e na formação de glóbulos vermelhos. 

Alimentos como tomate, batata, brócolis, frutas cítricas e pimentões são ótimas fontes desta vitamina, sem contar nas formas de suplementação desse composto. 

Mas devido a pandemia do novo coronavírus, o consumo exagerado desse medicamento tem se tornado frequente, e com isso, tem aumentado o debate a respeito dos benefícios e malefícios desse consumo desenfreado.

De acordo com a nutricionista e professora do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), Danielle Alice Vieira, nenhum suplemento deve ser ingerido sem a prescrição de um profissional habilitado. “Além disso, o consumo de suplementos somente é indicado quando não se consegue atingir as recomendações através da dieta. A recomendação de vitamina C é facilmente atingida com a alimentação, basta ter o consumo regular de frutas, folhosos e vegetais”, adverte.

A especialista destaca que a dosagem diária de vitamina C recomendada pelos órgãos oficiais varia de acordo com idade e sexo, mas gira em torno de 70 miligramas para a população saudável. “O excesso pode gerar diarreia, cólica, dor de cabeça, náuseas  e desconforto gastrointestinal. Quando há o consumo de uma mega dose desta vitamina também pode ocasionar o aparecimento de cálculos renais”, alerta.

Um ser humano adulto deve consumir ao dia cerca de 2.000 miligramas, caso esse consumo seja superior não ocorrerá intoxicação, mas ocasionalmente, diarréia, náuseas e desequilíbrio do sistema antioxidante pode ser notado.

O que tem ocorrido é o chamado vitaminocultura, onde de forma irregular, temos consumido grandes quantidades diárias desses micronutrientes. Além disso, estudos tem alertado que grandes doses dessa vitamina pode promover um aumento excessivo da absorção de ferro, diarreias, cólicas, dor abdominal e dor de cabeça e identificaram que o consumo de ácido ascórbico inibe a ação do anticoagulante Varfarina, aumentando os riscos do surgimento de trombos nos vasos sanguíneos.

Compartilhe: