MENU

Asma e covid-19: quais os cuidados necessários

A asma é desencadeada por fatores alergênicos presentes dentro de nossas casas

às 20h05
Compartilhe:

A asma é uma das condições de saúde pré-existentes que aumenta o risco de um caso mais grave de Covid-19, a doença causada pelo coronavírus. Neste 4 de maio, é o Dia Internacional de Combate à Asma, data criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que visa orientar e prevenir o agravamento de sintomas da doença. E neste ano, a intensificação dos cuidados deve ser redobrado diante da pandemia do novo coronavírus, assim como ficar atento aos sintomas.

O que é asma? Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, a asma é uma doença comum das vias aéreas ou brônquios (tubos que levam o ar para dentro dos pulmões) causada por inflamação das vias aéreas. Diferentemente, a Covid-19 é uma infecção respiratória aguda causada pelo coronavírus SARS-CoV-2. O alergologista e professor do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), Marcos Gonçalves, alerta que pessoas com asma leve ou moderada não estão no grupo de risco, mas devem redobrar os cuidados.

“Os pacientes com asma controlada não fazem parte do grupo mais vulnerável da  covid-19, e mesmo que adquiram as duas doenças não correm graves riscos. No entanto, sabe-se que as pessoas com asma grave, aqueles que mesmo usando medicações de prevenção e que têm crises, necessitam de um acompanhamento médico, no sentido de aconselhar e prevenir, encaminhando-as para estar entre as prioridades para a imunização contra o coronavírus,” alertou o médico Marcos Gonçalves. 

Não é fácil identificar a primeira crise de asma, principalmente quando ocorre em crianças menores de 5 anos. A asma entre os pequenos pode desencadear uma crise de sibilância, mais conhecida como chiado no peito que, por sua vez, pode ser confundida com a covid-19. Já em outras idades é mais fácil diferenciar os tipos de doenças e o histórico passa a ser muito importante. Se o paciente sempre apresentou os sintomas de desconforto respiratório, tosse, sensação de aperto no peito e outras doenças alérgicas são classificadas como problemas asmáticos. 

Prevenção à asma

A asma é desencadeada por fatores alergênicos presentes dentro de nossas casas, como poeira, ácaro, pelos de animais, fumaça, mofo, perfume, produto químico e medicamentos, mas também pode estar relacionada a mudanças climáticas, exercício físico intenso, ansiedade ou estresse emocional. Alguns alimentos também devem ser evitados, como chocolates e doces, comidas condimentadas, leite, café, frituras e alimentos gordurosos, entre outros.

O professor Marcos Gonçalves faz algumas recomendações para evitar a proliferação de ácaros, grandes responsáveis pela maioria de casos de asma. “É necessário higiene constante nos equipamentos de ar condicionado e ventiladores, por acumular grandes quantidades de poeiras e espalhar por todo ambiente. Ainda assim, é  preciso arejar os ambientes, abrindo as janelas e deixando a luz do sol bater, principalmente se for em quartos de crianças,” indicou.

Por Elzir Souza – Algo Mais Consultoria e Assessoria | Com Asscom Unit/AL

Compartilhe: