MENU

Os primeiros passos para planejar uma aposentadoria

Especialistas em finanças ensinam que planejar o futuro nem sempre é fácil, mas é possível fazer uma reserva financeira para a aposentadoria

às 19h11
O ato de poupar e investir a longo prazo, para ter uma segurança financeira maior na aposentadoria, traz tranquilidade para quem poupa (Unsplash)
O ato de poupar e investir a longo prazo, para ter uma segurança financeira maior na aposentadoria, traz tranquilidade para quem poupa (Unsplash)
Compartilhe:

Sempre que o assunto é aposentadoria, dois sentimentos são os mais comuns: a impressão de que é algo ainda distante e o desespero por não ter começado a poupar antes. Mas de acordo com especialistas em finanças, é possível se organizar e assim dar os primeiros passos para planejar a aposentadoria, independentemente da idade.

Nesse planejamento, é preciso organizar as finanças para fazer sobrar uma verba e então direcioná-la ao investimento a longo prazo, que é o capital acumulado para o momento da aposentadoria.

“O que vai fazer você ter esse dinheiro para usufruir na sua aposentadoria é exatamente a constância no depósito daquele valor que você definiu poupar para o futuro. Mais importante que começar, ou seja, dar o primeiro passo, é não parar. Para dar esse primeiro passo é preciso fazer escolhas, rever o orçamento e ver o que pode ser deixado de lado, gastos que sejam desnecessários, para que esse dinheiro seja revertido a essa poupança a longo prazo”, orienta o professor Josenito Oliveira, economista e docente dos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Tiradentes (Unit Sergipe).

Em relação ao valor que se deve aplicar nessa reserva para a aposentadoria, a orientação básica é investir no mínimo 10% dos ganhos mensais, com vistas para o futuro. “Quanto mais você junta, melhor você se aposenta. Essa é a premissa básica para constituir um capital a longo prazo e mesmo que seu orçamento seja curto, fazer esse planejamento, identificar o que pode ser aparado, cortar os gastos supérfluos e investir esse dinheiro em uma espécie de poupança para o futuro é o ideal. É claro que aqueles que podem direcionar mais dinheiro devem fazê-lo, mas o essencial é começar a juntar esse capital o quanto antes”, ressalta Josenito. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: