MENU

O que você quis mais saber sobre estudar no exterior

Nesta primeira de duas matérias, vamos responder algumas das dúvidas mais frequentes sobre planejamento para estudos no exterior, sejam virtuais ou presenciais

às 15h27
Tirar o passaporte, conseguir os vistos e firmar procuração para uma pessoa no Brasil são algumas providências necessárias ao intercambista
Tirar o passaporte, conseguir os vistos e firmar procuração para uma pessoa no Brasil são algumas providências necessárias ao intercambista
Compartilhe:

Mesmo em tempos de pandemia, com o fechamento de fronteiras, muitos estudantes ainda têm dúvidas sobre fazer ou não um curso, intercâmbio ou estágio no exterior. Seja aderindo à modalidade virtual ou planejando a viagem presencial para depois da pandemia, é comum surgirem perguntas sobre o custo financeiro, os trâmites burocráticos e até mesmo a fluência exigida no idioma do país desejado. O nosso portal traz aqui informações sobre como essa atividade funciona no Grupo Tiradentes e responde a algumas das dúvidas mais frequentes, a fim de ajudar no seu planejamento, sejam quais forem seus objetivos.  

O que cursar

Cada universidade estrangeira tem autonomia para definir os cursos que ofertarão para estudantes em Mobilidade Acadêmica. Além disso, existem alguns cursos que não são ofertados em outros países, ou são ofertados seguindo uma metodologia incompatível com a das instituições de ensino do Grupo Tiradentes (Unit SE/AL/PE ou Fits). Vale lembrar que a disponibilidade de vagas é definida a cada semestre, sendo importante consultar a tabela de oferta de vagas por curso antes mesmo de escolher as opções de universidades. Ainda na tabela, é possível conferir as vagas para o semestre de seu interesse, o que será informado nos editais específicos.

Fluência no idioma

Um requisito dos programas de Mobilidade Acadêmica Internacional, nos cursos de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu, é que o candidato tenha um conhecimento básico da língua estrangeira para obter o melhor aproveitamento pessoal e acadêmico da sua experiência. Entretanto, algumas instituições de ensino já pedem um nível intermediário, ou até mesmo avançado, do idioma. A maioria das faculdades/universidades de destino possui um centro de idiomas, permitindo que o aluno estude a língua do país. A fluência no idioma será certamente melhorada, na medida em que o estudante vivencie-o diariamente e estude as disciplinas do seu curso durante o período em contato com o exterior (presencial ou virtual)

Passaporte e burocracia

No caso do intercâmbio presencial, o passaporte é essencial, pois é ele que irá te identificar formalmente em qualquer país do mundo, além de conter o visto comprovando a legalidade migratória. Caso queira realizar sua mobilidade, mas ainda não tenha passaporte, é ideal agilizar o processo de solicitação do passaporte o quanto antes junto à Polícia Federal. 

O passaporte é um documento de identificação internacional, enquanto o visto consiste na legalidade da situação migratória no país, ou seja, permite o ingresso no país de destino e é emitido pelo consulado desse país no Brasil. O visto será anexado ao passaporte, que por sua vez, é um documento emitido pela Polícia Federal aqui no Brasil. Para saber como tirar o visto para o país de destino escolhido, é preciso procurar o site responsável pelo consulado do país, ou entrar em contato direto com o consulado mais próximo.

Procuração

Se o estudante for mesmo para o exterior, ele deve nomear uma pessoa em sua cidade de origem, para que ela esteja legalmente autorizada a agir em seu nome quando houver necessidade de resolver pendências durante sua ausência, a exemplo de pendências bancárias. Trata-se da Procuração, a qual deve ter sua firma reconhecida em cartório. Nesse sentido, os próprios cartórios já possuem modelos de procuração, sendo preciso preencher com dados pessoais seus e do procurador.

Vale lembrar que a procuração reconhece juridicamente que você estará outorgando poderes à outra pessoa para agir em seu nome, então o procurador precisa ser alguém no qual você tenha um alto nível de confiança, seja algum familiar, ou amigo muito próximo. 

Estágio ou trabalho no exterior  

Em geral, os alunos de Graduação viajam com visto de estudante, e os alunos de Pós-Graduação Stricto Sensu vão com visto de estudante ou pesquisador. Sendo assim, eles não podem realizar trabalho com vínculo empregatício no país de destino, uma vez que o fim é acadêmico, e não profissional. Tudo dependerá de como a universidade estrangeira conveniada ao Grupo Tiradentes irá aceitar e receber o aluno no exterior. Além disso, se houver o interesse em trabalhar no país destino como estagiário ou voluntário, é importante ficar atento às regras de cada unidade educacional.

Mesmo assim, a mobilidade acadêmica pode representar um diferencial na disputa por uma vaga no mercado de trabalho. A experiência da vivência internacional aprimora habilidades e possibilita um maior conhecimento aos alunos, fazendo com que eles somem mais competências ao currículo. No competitivo e globalizado mercado de trabalho da atualidade, o conhecimento multidisciplinar e a fluência em mais de um idioma fazem a diferença.

Na próxima matéria, vamos responder a mais dúvidas sobre mobilidade acadêmica internacional. Caso tenha outras, pode enviar um e-mail para international@unit.br.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: