MENU

No Dia Mundial da Tuberculose, professora orienta sobre diagnóstico

A infectologista Sarah Dominique alerta a importância do tratamento adequado e cuidados com a Tuberculose

às 20h25
Doença é confirmada pela radiografia do pulmão
Doença é confirmada pela radiografia do pulmão
Infectologista e professora, Sarah Dominique
Compartilhe:

A infectologista e professora do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), Sarah Dominique Dellabianca, faz um alerta importante nesta quarta-feira, 24 de março, Dia Mundial da Tuberculose. A doença que segundo levantamento do Ministério da Saúde ainda mata cerca de um milhão de pessoas anualmente em todo o planeta e cerca de 5 mil delas no Brasil, precisa de um diagnóstico precoce e tratamento adequado.

Segundo ela, os sintomas são: tosse inicialmente seca e posteriormente produtiva (com secreção), febre, sudorese, cansaço excessivo e falta de apetite, perda de peso e rouquidão.  

“Há casos de pacientes que não exibem sinais da doença de imediato ou apresentam sintomas mais leves, o que pode confundir e retardar o diagnóstico correto”, esclarece Sarah Dominique.

Ao apresentar esses sintomas, é importante que a pessoa busque atendimento numa unidade de saúde. Um desses pontos de atendimento pode ser a Policlínica da Unit/AL, que disponibiliza consultas gratuitas com infectologistas.

A Policlínica da Unit/AL está localizada no Campus Amélia Maria Uchôa, na Avenida Gustavo Paiva, 5017, Cruz das Almas, e oferece atendimentos gratuitos nas áreas de Infectologia, Ginecologia, Medicina da Família e Comunidade, Clínica Médica, Cardiologia, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Obstetrícia, Reumatologia, Ortopedia, Psiquiatria, Neurologia, Nefrologia, Pediatria e Geriatria.

Para garantir atendimento médico, o interessado deve fazer primeiramente o agendamento pelos telefones 3311-3209 e 98886-6911, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e de 13h às 16h. 

Os atendimentos ambulatoriais acontecem de segunda à sexta-feira, das 7h às 20h, com qualidade garantida pelo corpo docente de médicos da Unit/AL, que acompanha de perto as consultas realizadas pelos estudantes em períodos finais dos cursos de Medicina, e obedecendo a todos os protocolos de biossegurança e distanciamento social.

“A tuberculose tem cura e é tratada exclusivamente pelo SUS. É essencial realizar todo o tratamento durante seis meses, evitando abandonos e casos recidivos no futuro. A melhora do quadro antes deste período não significa cura da doença e o paciente que interrompe o protocolo pode criar resistência aos antibióticos utilizados no tratamento”, avalia a especialista.

Dados sobre a Tuberculose

  • O Brasil é o 16º país com maior incidência de tuberculose no mundo, porém, ao contrário do que muitas vezes é divulgado, esta incidência tem caído substancialmente nos últimos anos;
  • Familiares e pessoas próximas aos infectados devem manter certos cuidados básicos como forma de afastar o risco de contágio durante a fase inicial da doença;
  • Portadores do vírus HIV e de doenças como diabetes, por exemplo, podem desenvolver formas graves de tuberculose. Por isso, devem manter-se sob constante observação médica;
  • Leve seu filho para tomar a vacina BCG contra a tuberculose. Se não foi vacinado, aos cinco anos, deve fazer o teste de Mantoux, ou PPD. Caso não apresente reação, deve ser vacinado em qualquer faixa de idade.

Leia também:

Acadêmicos de Medicina publicam artigo científico sobre a Leishmaniose

“Doenças não respeitam fronteiras”, diz diretora do CDC dos EUA

Por Iracema Ferro – Algo Mais Consultoria e Assessoria | Com Asscom Unit/AL

Compartilhe: