MENU

Live Tiradentes discute desafios para bares e restaurantes no pós-pandemia

Situação atípica trouxe recessão, necessidade de adaptação e novas oportunidades

às 18h31
Acesse o link de transmissão
Acesse o link de transmissão
Compartilhe:

Por João Paulo Macena – Algo Mais Consultoria e Assessoria

As alternativas, panoramas e perspectivas para o setor de bares e restaurantes pós-pandemia, foram tema da Live Tiradentes da quarta-feira passada (22). Intitulada ‘Bares e Restaurantes e os desafios trazidos pela Covid-19’, a live reuniu Thiago Falcão e Magda Ferolla para discutir as dificuldades e alternativas desse que foi um dos setores mais impactados com as medidas de isolamento.

A discussão começou com Thiago Falcão, graduado em Administração e Gastronomia, consultor na área de bares e restaurantes, com vasta experiência em negócios gastronômicos, sócio-proprietário da franquia One Sushi e presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas (Abrasel/AL).

Ele iniciou a live traçando um panorama do setor de bares e restaurantes no início do ano, antes da pandemia. Segundo Thiago, 2020 era um ano promissor principalmente pela ênfase do Turismo, com Maceió e Alagoas se destacando nacionalmente, com bons números em 2019, sobretudo nos litorais e cidades como Maragogi. Com a pandemia, os estabelecimentos ficaram fechados por quatro meses e a perspectiva positiva foi frustrada, com um período de recessão.

De acordo com Thiago Falcão, a pandemia também trouxe oportunidades para algumas empresas agora, com vendas por delivery ainda em alta, e no futuro, considerando que Alagoas continua sendo destino muito procurado por turistas. “Tivemos um crescimento acelerado no mercado delivery, com as metas dos aplicativos já batidas em março, aceleração de novos cadastros e número de pedidos. O crescimento desse setor já era prometido em 2020, mas foi ainda mais intensificado com as medidas adotadas durante a pandemia”, afirmou.

Principais impactos

O primeiro grande impacto da pandemia nos negócios do setor foi a demissão em massa. Em Alagoas, no primeiro mês da pandemia, segundo dados da Abrasel/AL, os estabelecimentos tiveram que demitir, em média, 30% dos funcionários. Estima-se que 60% das empresas ficaram de portas fechadas, sem poder manter suas atividades. Essa porcentagem também equivalente ao prejuízo no faturamento.

“Isso trouxe um impacto muito forte visto que 60% dos empregos do setor turístico de Maceió vem de bares e restaurantes, que também é importante por oferecer a muita gente a oportunidade do primeiro emprego. As demissões acabam por impactar toda a cidade, da periferia até a parte baixa, onde estão boa parte desses equipamentos”, ressaltou Thiago Falcão.

Mudanças necessárias

Convidada também para a live, Magda Ferolla, lembra que o segmento tinha uma expectativa de qualificação de mão de obra para atender a grande demanda esperada em 2020, agora, viverá uma fase para adquirir novos hábitos. Ferolla é graduada em Gestão de Recursos Humanos, especializada na formação e desenvolvimento de profissionais para o serviço de salão em restaurantes; atualmente ela é proprietária da Gastrô Consultoria e Assessoria em gestão operacional de bares e restaurantes. 

“Alguns hábitos como um bom atendimento e a regularidade em algumas ações se perderam e isso fez com que algumas empresas retornassem à estaca zero. As atitudes do salão de um restaurante mudaram e passaram a ter mais detalhes e outros aspectos a serem observados. A situação de todos os empreendimentos é muito delicada e de muita instabilidade”, afirmou.

Na mediação da live, gestor do Unit Biz (Business Center), Marco André, destacou que agora é hora das empresas serem ainda mais criativas, e buscarem por capacitação e investimento.

“A atitude de se movimentar e ter uma velocidade maior na mudança, aceitando a situação e buscando alternativas é essencial. A parte da gestão técnica apenas não é mais suficiente. Temos que ter as duas coisas: capacidade técnica e a vontade de fazer acontecer. Se capacitar cada vez mais é importante, trazendo coisas novas dentro da nova realidade”, pontuou.

Thiago Falcão acredita que as empresas do ramo voltaram mais profissionais e trazendo esperança para a economia: “Nós ainda tínhamos amadorismo nas empresas, mas agora elas retornam diferentes, mais especializadas e preparadas para esse momento. Agora é uma oportunidade de começar de novo o negócio a partir do delivery, de forma mais enxuta e com menos gastos e riscos. É a hora de  mudar a vivência e a experiência no salão para fazer com que o cliente saia de casa com segurança. O retorno não é de felicidade e alegria, mas sim de esperança”. 

Para ver e rever essa live é só acessar o link: www.unit.br/lives

Compartilhe: