MENU

Liga acadêmica de Oftalmologia tem diversas pesquisas aprovadas

Sob a orientação da professora e médica Marina Viegas Ribeiro, acadêmicos de Medicina desenvolveram estudos publicados na Revista Brasileira de Oftalmologia

às 20h19
Estudos sobre oftalmologia são publicados em revistas ciêntíficas
Estudos sobre oftalmologia são publicados em revistas ciêntíficas
Compartilhe:

Ter estudos, artigos e pesquisas divulgadas em revistas científicas de renome nacional e internacional é uma das maiores conquistas de quem está na graduação. Esse tipo de publicação é uma das vivências acadêmicas que possibilitam enriquecer o currículo acadêmico, e principalmente ser pontos decisivos em seleção de mestrado ou doutorado. No Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), o corpo docente está sempre direcionando e incentivando os alunos para publicações científicas.

A coordenadora pedagógica do curso de Medicina da Unit Alagoas, Marina Viegas Ribeiro é uma das professoras encorajadoras e tem um grande orgulho em relatar que só no ano de 2020, o curso teve 7 artigos aprovados, 3 deles publicados em revistas científicas e 1 transformado em capítulo de livro.

“Um dos nossos objetivos é a introdução dos nossos alunos na iniciação científica. E ter esse contato com a pesquisa logo no início da graduação, permite que consiga ter um currículo acadêmico competitivo, aprender a escrever de forma científica, além de descobrir coisas novas, estudar a medicina baseada em evidências”, explicou a coordenadora.

Carlos Eduardo Ximenes é aluno do curso de Medicina da Unit e integrante da Liga Acadêmica de Oftalmologia. Recentemente eles tiveram um artigo publicado na Revista Brasileira de Oftalmologia – publicação científica contínua e referenciada da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, com uma revisão de literatura  sobre os ‘Aspectos oftalmológicos das missões espaciais’

“Temas distantes da nossa realidade , mas com grande impacto científico no atual cenário das viagens espaciais e do novo programa de exploração humana em Marte,”Moon to Mars”. A nossa orientadora, Profª Drª Marina Ribeiro, foi a nossa grande influenciadora. Desde o início da Liga ela sempre nos motivou a escrever sobre temas inéditos na oftalmologia e divulgar esse conhecimento para o mundo. Eu, por exemplo, sempre gostei muito de fotografia e óptica. Entrei na faculdade com uma curiosidade absurda de conhecer um pouco mais da especialidade e quando tive o meu primeiro contato, foi paixão à primeira vista. O olho humano é um instrumento de comunicação e sobrevivência que ajudou a tornar a espécie humana altamente adaptável no nosso planeta. Entender e tratar condições oftalmológicas é devolver ao paciente uma chance de se conectar ao mundo e as pessoas”, contou Carlos Eduardo.

Pesquisa acadêmica

Marina Viegas pontua que o aluno que pesquisa, tem uma vivência maior em conteúdo e conhecimento técnico mais amplo. “A nossa orientação se dá mostrando como é que eles podem realizar buscas em bases de dados, como redigir de acordo com os regulamentos de cada revista científica, aulas de metodologia científica, revisão literatura. Depois da construção do artigo, iniciamos a parte da revisão acadêmica e envio para publicações. Então, ressalto que é um prestígio termos altos índices de publicações em periódicos nacionais e internacionais qualificados”.

Para o aluno Carlos Eduardo, essa vivência em ser pesquisador é uma busca ativa por conhecimento. “A pesquisa também nos permite conhecer novas áreas de atuação dentro da medicina e nos dá a oportunidade de trabalhar com ótimos profissionais de diversas especialidades. Recentemente, em parceria com a Dra. Marina e com a Dra. Aline Carvalho (neuro-intensivista) publicamos o primeiro trabalho no estado sobre medicina aeroespacial ‘Neuropsychiatric aspects of the space missions: scientific overview of the last 15 years’ no International Physical Medicine & Rehabilitation Journal”. 

No campo prático, os alunos que compõem a Liga Acadêmica também estão estudando os efeitos de um componente sanguíneo na recuperação visual de pacientes com síndrome do olho seco, especialidade da Dra Marina Ribeiro. A pesquisa está sendo feita com participação da Dra. Patrícia, hematologista do Hemocentro de Alagoas – HEMOAL. “Estamos obtendo resultados satisfatórios quanto a melhora da qualidade de vida de alguns pacientes já submetidos ao processo terapêutico em questão”, disse o acadêmico em medicina.   

Liga Acadêmica de Oftalmologia

A Liga Acadêmica de Oftalmologia possui um grande diferencial em relação à produção científica. Além de trabalhos apresentados em eventos médicos, possui hoje publicações em periódicos renomados no Brasil, capítulos em livro e pesquisa em curso. 

Mesmo com a pandemia e migração das aulas para o formato remoto, conseguimos  durante esse ciclo uma quantidade ainda maior de aulas em relação ao ciclo anterior, realizamos parcerias com ótimos oftalmologistas brasileiros e, ainda, mantivemos as nossas práticas ambulatoriais e cirúrgicas semanalmente com a Dra Ana Ramalho . 

“A pandemia trouxe o desafio da adaptação e dentro dos nossos limites estamos conseguindo atingir a nossa meta como liga acadêmica de levar a todos os integrantes o ensino, extensão e prática e pesquisa”, disse o acadêmico.

Confira outros artigos publicados pelo curso de Medicina da Unit/AL

Miopia causada pelo uso de telas de aparelhos eletrônicos: uma revisão de literatura

Manifestações oculares de COVID-19 - revisão de literatura

Por Asscom Unit/AL

Compartilhe: