MENU

Jornalista lança livro com obras e processos de produção do Mestre João das Alagoas

Livro é resultado da dissertação de Mestrado e conta com 50 fotos autorais que mostram a técnica com argila

às 18h11
Compartilhe:

Ao participar de uma oficina de modelagem de argila, a então estudante de Jornalismo, Marta Moura, teve contato com João Carlos, professor da oficina. Ele comentou que o seu pai fazia peças de cerâmica e a levou para conhecer o ateliê. O pai de João Carlos é o Mestre João das Alagoas, que tem um ateliê no município de Capela. Com esse conhecimento, surgiu o objeto de estudos do Mestrado da Marta e que virou livro: a iconografia das narrativas visuais presentes nas peças do Mestre João das Alagoas. 

A jornalista, que é egressa da Unit/AL, fez o mestrado de  Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas (SOTEPP) na mesma instituição. E agora sua dissertação “Da terra, o barro. Da arte, a vida: uma iconografia da cerâmica figurativa do Mestre Artesão João das Alagoas” se transformou em um livro. Com 50 fotografias autorais, o livro mostra o processo de produção das cerâmicas, acompanhando os métodos tradicionais do artesão e foi lançado nesta sexta-feira (04), no salão principal da Associação Comercial de Maceió, em Jaraguá. 

Marta conta que sua dissertação foi desenvolvida pensando em transformá-la em um livro. “Sempre defendi a ideia de que a linguagem da dissertação já estava sendo transformada para que fosse um livro. Esse livro foi desenvolvido para os amantes de artes, para a pessoa que gostaria de saber sobre arte em Alagoas, com a linguagem mais didática”, comenta. 

Transformando a tese em livro

Para fazer a publicação, Marta se utilizou do método fotoetnográfico. Na medida em que era construído o texto, ela pensava em ilustrar através das fotografias, porque foi a partir delas que poderia interpretar os nove temas. O livro tem quatro capítulos. Os três primeiros serviram como base da produção do Mestrado.

“Eu trabalhei a questão do processo de produção da cerâmica, então eu registrei tudo. Entrei no barreiro para poder fotografar as camadas de barro, estive durante as queimas de peças quando eu queria mostrar a realidade da queima. A minha habilidade com a fotografia também é antiga, então isso ajudou muito para que eu conseguisse, através do meu olhar, do meu objetivo, passar para o leitor com muito mais nitidez o que é a cerâmica e quais são os seus processos.”, relata. 

Gosto pela arte é antigo

A jornalista conta que seu gosto pela arte e cultura ‘nasceu com ela’.  Seu projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) foi um documentário sobre a Mestra Joana Gajuru, que se destacou estadualmente pela sua firmeza e a ser a primeira mulher a administrar e ser Mestra de Guerreiro. Joana chegou a cuidar da prima e da avó de Marta. 

“Eu tenho essa raiz da cultura alagoana nas minhas veias. Acabei aprendendo a bordar, gosto de pintar, de fotografar. Tudo isso fez eu ser apaixonada por arte, ter uma vontade de conhecer o artista, o saber e o fazer dele. Além disso, o jornalismo me ajudou demais, porque me deu ferramentas de construção de pesquisas, de construção fotográfica para que eu pudesse levar tudo isso, toda essa minha ânsia de conhecimento. Acabo falando que a minha missão aqui é levar arte para outras pessoas de diversas formas e passar esse amor para outras pessoas”, defende. 

Mestrado e Doutorado com inscrições abertas

O programa de Mestrado/Doutorado em Sociedade, Tecnologia e Políticas Públicas (Sotepp) da Unit/AL está com processo seletivo aberto até o dia 4 de março de 2022. As inscrições são realizadas exclusivamente de forma online através do e-mail sotepp@al.unit.br

Confira o edital neste link.

Compartilhe: