MENU

INSS: Solicitações de pensão por morte crescem 47% em um ano

Reflexos da pandemia impulsionaram a alta de solicitações de pensão por morte, analisa economista

às 16h34
Segundo o INSS, foram 70 mil pedidos de pensão a mais entre os meses de março de 2020 e 2021
Segundo o INSS, foram 70 mil pedidos de pensão a mais entre os meses de março de 2020 e 2021
O economista Josenito Oliveira, professor da Unit Sergipe
Compartilhe:

Uma alta de 47% foi notada no volume de solicitações de pensão por morte junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), aponta uma pesquisa feita pela instituição. Os dados de março do ano passado foram comparados com o mesmo período de 2021 e o resultado: 70 mil pedidos a mais. Em 2020, foram 153.293 solicitações, enquanto que em março deste ano, foram 224.293.

Com o crescimento no número de solicitações, outro panorama também apresentou alta: o de pensões em processo de análise. Para se ter uma ideia, no período de janeiro a março de 2021, 194.856 solicitações foram requeridas ao INSS, o que representa um volume 45% maior no comparativo do registrado nos três primeiros meses de 2020.

Na análise do economista e professor Josenito Oliveira, docente dos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Tiradentes (Unit Sergipe), não há dúvidas que a Covid-19 tem relação direta com esse panorama identificado nos processos do INSS.

“Esse crescimento de solicitações de pensão é mais uma conta que a pandemia deixa para a economia brasileira. Do ponto de vista dos pensionistas é uma remuneração que irá ajudar a manter o orçamento necessário para a subsistência do indivíduo ou da família. Isso minimiza o trauma daqueles que perderam seus entes queridos, os quais davam sustentação financeira. Já do ponto de vista da previdência, o governo terá que destinar mais recursos financeiros para atender essa demanda. Dessa forma ocorre um aumento do gasto público e, consequentemente, gera dificuldades para manter o ajuste fiscal”, analisa. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: