MENU

Ida à praia precisa de dupla proteção: máscaras e protetor solar

No primeiro fim de semana da fase amarela, dermatologista chama atenção para a prevenção ao coronavírus e os cuidados normais de uma ida à praia

às 20h24
Retorno à orla marítima requer cuidados
Retorno à orla marítima requer cuidados
Compartilhe:

Por Mariana Lima – Algo Mais Consultoria e Assessoria

Este será o primeiro fim de semana com banho de praia e permanência na faixa de areia liberados em um bom tempo. Muitas pessoas estão ansiosas por relaxar um pouco na praia, em especial as famílias com crianças, mas para isso precisam tomar cuidado com a prevenção ao coronavírus tanto quanto os cuidados da proteção solar. Afinal de contas, é preciso usar a máscara até mesmo na praia?

Apesar de não estar descrito de forma explícita o uso de máscaras na faixa de areia no decreto governamental que orienta esta fase amarela, a dermatologista Maria Lamenha, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e professora do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), chama atenção para o bom senso neste momento em que ainda atravessamos uma pandemia.

“Durante a permanência na faixa de areia, deve-se manter os cuidados de distanciamento entre as pessoas que não residem no mesmo domicílio. Durante a imersão no mar, o uso da máscara fica impraticável, dessa forma, os cuidados de distanciamento devem ser ainda mais rigorosos”, alerta Maria Lamenha.

Antes de entrar no mar, a máscara deve ser retirada com cuidado do rosto e guardada em uma bolsa ou sacola plástica, caso ainda seja possível utilizá-la novamente. É recomendado que as máscaras de tecido sejam trocadas a cada três horas e, diante da areia e até a impossibilidade de completa higienização, a dermatologista orienta que sejam levadas outras máscaras para a saída do passeio, também em embalagem limpa e fechada.

E tudo isso sem descuidar de algumas recomendações mais habituais de uma ida à praia. “É de fundamental importância salientar o uso do filtro solar, que deve ser reaplicado a cada duas horas, além das ditas medidas mecânicas de fotoproteção, como uso de roupas com proteção UV, chapéus e óculos escuros”, orientou a dermatologista.

Cuidado com o álcool em gel

Apesar de ser um grande aliado da assepsia, é preciso ter cuidado com o uso do álcool em gel durante a exposição direta e prolongada ao sol, afinal de contas, trata-se de um produto inflamável e não deve ser exposto a altas temperaturas.

“Essa substância colocada na pele em contato com o sol provoca uma reação inflamatória denominada fitofotodermatose, caracterizada por pigmentação e eventual formação de bolhas. Então um aspecto que muito me preocupa é o uso do álcool em gel durante esse período de fotoexposição direta”, concluiu Maria Lamenha, informando que seu uso deve ser apenas de forma pontual, para higienização das mãos.

Decreto – Fase amarela

Seguindo as orientações do decreto, a orla de Maceió está reaberta para atividades físicas individuais como caminhada, corrida e ciclismo, preferencialmente de forma individualizada e com uso de máscaras, respeitando distanciamento. Segue proibido o contato social antes, durante ou depois das atividades físicas e esportivas, assim como qualquer aglomeração.

O banho de mar continua autorizado e agora a faixa arenosa pode ser usada, preferencialmente de forma individualizada. A utilização de parques infantis, brinquedos, campos e quadras, aparelhos de ginástica, academias ao ar livre e demais equipamentos e mobiliários de uso coletivo segue proibida.

O passeio com animais domésticos ou de estimação pode ser realizado e segue liberado também o estacionamento de veículos nos espaços públicos da orla desde que em vagas intercaladas.

Compartilhe: