MENU

Fits tem 11 trabalhos aprovados em Congresso Acadêmico


às 20h03
Compartilhe:

A Faculdade Integrada Tiradentes – Fits participa do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia (CAIITE), de 18 a 23 de agosto, no Centro de Convenções Ruth Cardoso. Serão apresentados 11 trabalhos acadêmicos com 31 alunos envolvidos. O evento possui entrada franca e a temática escolhida para 2014 é “Tecnologias e Educação: soluções inovadoras”.

O CAIITE 2014 elegeu como tema, tendo em vista a complexidade, os impactos e os desafios dessa discussão na contemporaneidade. Mais uma novidade desta segunda edição é a inclusão de outra instituição de ensino superior, que se soma às cinco que encabeçaram o CAIITE 2013: a Uncisal, agregando valor à iniciativa, que conta também, desde sua primeira edição, com o apoio político e financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de Alagoas (Fapeal). O evento foi lançado oficialmente no dia 31 de agosto de 2013, durante a realização da VI Bienal Internacional do Livro de Alagoas, oportunidade em que foi apresentada a nova identidade visual do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia.

Trabalhos Aprovados

A hidrocinesioterapia no tratamento da síndrome da fibromialgia, com Dayane Santos Oliveira, Agrimeron Antônio Delmiro Dos Santos Neto, Wel Carla Santana Melo e Sherly Santana Melo.

Envelhecimento e inclusão digital. Com Laíse Gabrielly Matias De Lima Santos e Andressa Lima.

Educação em saúde associada às tecnologias educacionais. Com Andressa Lima Cavalcante, Emanuele Santos De Lima, Gleicy Kelly Correia Xavier, Laíse Gabrielly Matias De Lima Santos e Ironaide Ribas Pessoa.

Diagnóstico molecular para epilepsias: estado da arte. Com Jonadab Dos Santos Silva, Gustavo Reis Branco De Souza.

Licença para degradar? investimento em mineração e conflitos ambientais na Amazônia brasileira. Com Nathália Nascimento Silva E Souza, Alan Do Nascimento Pedrosa e Tainá Teixeira Cavalcante De Lima.

Trajetórias de três mestres de folguedos populares de Alagoas. Com Eduardo Faustino Dos Santos Coêlho.

Smartphones: observação de frequência de uso na interação social de estudantes universitários. Com Ivna De Oliveira Fernandes, Patrícia De Carvalho Diniz Soares, Manoel Sebastião De Oliveira Neto e Francilene De Melo Santos.

Repensando o welfare state para entender a crise estrutural do capital. Com Maria Lucilene Barbosa.

Direitos reprodutivos das mulheres: uma questão de saúde pública. Com Bianca Gomes Alves.

“Questão social”, crise estrutural do capital e o desemprego em debate. Com Edva Emanuelle Gomes Da Silva

O sigilo do inquérito policial frente à interferência da mídia. Com Laryssa Matias De Lima Santos. Quésia Araújo De Souza e André Rocha Sampaio

Caiite

O Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia (CAIITE) já se tornou um marco importante para o desenvolvimento da educação científica, tecnológica e cultural do Estado de Alagoas. Oriundo de experiências anteriores realizadas por diversas Instituições de Ensino Superior em Alagoas, mas até então de forma individualizada e isolada, foi proposto e executado pela primeira vez em abril de 2013,  em um formato inovador, reunindo, naquela ocasião, cinco instituições de ensino superior (UFAL, IFAL, UNEAL, CESMAC e FITS) que aceitaram o desafio de unir seus esforços e sua excelência num único e inovador empreendimento acadêmico-científico em prol da sociedade alagoana.

Inovação – Forno Solar

O forno solar é uma tecnologia social de baixo custo para o cozimento de alimentos, produzido a partir do reaproveitamento de caixas de papelão e materiais comumente encontrados nas residências, tais como, revistas, jornais, cola branca, fita adesiva, chapa metálica, vidro e panela.

Este produto tem por objetivo absorver a irradiação solar direta e difusa visando o aquecimento do material no interior do forno solar e consequente cozimento do alimento contido na panela. O tempo de cozimento de alimentos depende do tipo de alimento a ser preparado e pode variar de 1 a 2 horas para o cozimento de arroz e feijão, respectivamente. Sua temperatura interna pode chegar até 100°C no período em que a irradiação solar possui maior intensidade. Por fim, seu custo de fabricação é relativamente baixo. Cabe ressaltar que o usurário não possui gastos durante seu uso, resultando em um consumo do “Gás de Cozinha” durante o dia.

 

Compartilhe: