MENU

Extensão conscientiza sobre saúde sexual na terceira idade

Projeto visa identificar as fragilidades referentes ao conhecimento sobre educação sexual nos idosos pelos profissionais da saúde e pelo próprio público

às 20h19
 O projeto da Fits busca identificar as fragilidades referentes ao conhecimento sobre educação sexual entre profissionais da saúde e idosos (Divulgação/Fits Piedade)
O projeto da Fits busca identificar as fragilidades referentes ao conhecimento sobre educação sexual entre profissionais da saúde e idosos (Divulgação/Fits Piedade)
Compartilhe:

A saúde sexual da pessoa idosa é um tema que ainda gera muito tabu e preconceito, mas que precisa ser debatido. Com o objetivo de levar informação à essa população, os alunos do curso de Medicina da Faculdade Tiradentes de Jaboatão dos Guararapes (Fits Piedade), em Pernambuco, desenvolvem o projeto de extensão Desmistificando a Saúde Sexual do idoso: uma intervenção junto aos profissionais de saúde e idosos atendidos no Hospital e Policlínica Jaboatão Prazeres.

Segundo o professor Igor Souza, orientador do projeto de extensão, o intuito do trabalho é esclarecer a população da terceira idade atendida na unidade sobre a saúde sexual, enfatizando a importância da prevenção das principais infecções sexualmente transmissíveis (IST’s).

“Através desse projeto, também, será possível identificar as fragilidades referentes ao conhecimento sobre educação sexual na nessa faixa etária pelos profissionais da saúde e idosos. Ao final, deseja-se apresentar medidas, soluções e estratégias, como a terapia hormonal entre outros tratamentos, com o intuito de melhorar a vida sexual dos idosos”, completa.

Com o avanço da medicina, houve o aumento da expectativa de vida e, em consequência, a preocupação com o envelhecimento ativo e com a saúde sexual nessa idade tem aumentado. “Por mais que o processo de envelhecimento ocasione mudanças fisiológicas, existem meios para reduzir o prejuízo na vida sexual desse grupo. Assim, é necessário políticas públicas com foco na saúde sexual dos pacientes com mais de 60 anos, com a finalidade de melhorar a qualidade de vida dessa população”, aponta Igor.

A participação dos alunos em trabalho assim faz com que se tornem profissionais atentos e preocupados com seus pacientes. “A extensão possibilita a formação de um médico mais atento, sensível, humanizado e ciente de seu papel perante as populações mais segregadas da sociedade, como os indivíduos da terceira idade. Fato inegável é que a troca de experiências permite o compartilhamento de conhecimento entre gerações distintas em pensamentos e vivências”, destaca o professor.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: