MENU

Estudantes de Jornalismo participaram de treinamento para atuar em zona de conflito


às 12h13
Os últimos dias das férias foi inesquecível para seis estudantes do curso de Jornalismo do Centro Universitário Tiradentes (Unit AL). Eles foram selecionados para participar do I Estágio de Correspondente para Assuntos Militares (ECAM), realizado em Maceió pelo 59º Batalhão de Infantaria Motorizado (59º BI Mtz) de 24 a 26 de julho. O objetivo do treinamento foi capacitar os futuros profissionais para atuarem em uma possível zona de conflito, seja urbano ou rural.
Compartilhe:

Depois conhecer as dependências do Batalhão Hermes Ernesto da Fonseca, localizado no bairro da Pitanguinha, os estudantes puderam conversar com os militares para a produção de texto jornalístico apresentado ao fim do curso. Além disso, durante o estágio, os futuros jornalistas sentiram na pele os desafios enfrentados pelos militares durante o combate. Também passaram por oficinas de primeiros socorros, apronto operacional, tiro real, utilização de óculos de visão noturna e orientação noturna com bússola.

Entre os participantes do Unit AL, um já conhece a realidade do batalhão. O estudante do 5° período de Jornalismo, Silas Emanuel, é Cabo do Exército Brasileiro. “O curso foi de suma importância, pois ensinou o profissional do jornalismo como se comportar e agir em uma situação de estresse, em um ambiente de conflito. Onde tem troca de tiros e pondo em risco tanto a vida dele, como correspondente, quanto do militar. Deixar o militar fazer o trabalho dele, sem interferir, e colher o seu conteúdo de forma segura”.

O que foi visto durante os três dias foi um clima amigável entre os estudantes e oficiais do batalhão, independente da patente. No segundo dia, os estudantes pernoitaram no batalhão, montando seus acampamentos, fazendo suas fogueiras e comendo no estilo militar. Dividido em duplas, cada uma recebeu um pacote com ração operacional utilizados pelos militares durante as missões.

Outra participante, mas que não conhecia o batalhão, foi a estudante do 7° período, Dayris Carvalho. “O Estágio foi incrível. Totalmente diferente do que imaginei que seria, havia sempre uma surpresa, um desafio. Foi importante para mudar a opinião sobre o Exército Brasileiro e ampliar os horizontes da profissão. O estágio além de me capacitar, mudou a minha ideia da segurança do Estado e me fez entendê-los um pouco mais. Mudou minha relação com armas e com trabalho em grupo. E, também, ajudou a decidir o tema do TCC”, celebrou Carvalho, que, se houver a oportunidade, trabalhará na área.

Também participaram os estudantes, Lucas de França, José Arnaldo, Ronyery Macedo e Thamires Martins. Para Ronyery, no estágio ela pode perceber a importância acerca do servir dos militares, que durante a simulação tiveram sempre o cuidado de proteger os correspondentes, além de proteger suas vidas e cumprir a missão.

Missão cumprida

O curso foi coordenado pelo capitão do Exército Brasileiro, Guilherme Brasil (Capitão Brasil) que gostou do empenho dos estagiários e percebeu que a missão do curso foi cumprida. “O nosso propósito era pegar um estrato do universo da comunicação social em Alagoas. Fomos nas universidades e abrimos as inscrições para o estágio. E nossa missão foi cumprida. Conseguimos ter um grupo heterogêneo, com pessoas de todas as características e conseguimos torná-lo de forma homogênea, a partir das instruções e missões”.

Para Brasil, o curso teve várias finalidades, mas duas delas foram primordiais. Primeiro capacitar os profissionais para atuarem na cobertura jornalística em zonas de risco, locais inóspitos, garantindo a sua segurança e podendo levar a informação ao público. E, também, promover a interação entre o batalhão e os profissionais da comunicação social, que vem aqui, observa as atividades e vai relatar para os universitários, familiares e sociedade como um todo.

Ao fim do ECAM, os estagiários participaram de uma formatura com horarias militares, apresentação das tropas, hasteamento da bandeira, canções e hinos militares e receberam o certificado de conclusão de curso das mãos do comandante do 59° BI Mtz o Tenente-Coronel Cláudio Gadelha Fernandes, que conversou com os jovens durantes as refeições e participou de algumas das atividades.

Por José Arnaldo

Compartilhe: