MENU

Estudantes de Fisioterapia têm trabalhos aprovados no III COSEFIR


às 13h10
Compartilhe:

Os alunos do 6º e 7º período do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Tiradentes – Unit- participaram da 3ª edição do Congresso do Sertão de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (COSEFIR) realizado em Campina Grande – PB.

Com seis trabalhos aprovados, sendo dois com apresentações orais e quatro com apresentações em pôster, os estudantes se destacaram em mais um evento nacional. Sarah Carolina Luna, aluna do 7º período, foi a primeira colocada na apresentação dos trabalhos. A jovem bolsista de iniciação científica afirma que recebeu todo incentivo da instituição e de seus professores, sobretudo da orientadora, a professora Ana Carolina Calles.

“O trabalho aborda os riscos de queda na ‘terceira idade’ e faz uma correlação entre os níveis de equilíbrio e força, assim mostra que um está diretamente ligado ao outro. O risco de queda aumenta quando a força muscular diminui seguindo o processo natural de envelhecimento e isso independe de idade ou do sexo”, relata Sarah.

O Congresso acontece anualmente com a intenção de interiorizar a atualização na área de Fisioterapia cardiorrespiratória e terapia intensiva, e destaca as novidades da área, além da quantidade de trabalhos científicos produzidos pelos discentes. Afora, as professoras Ana Carolina Calles e Vanessa Almeida palestraram sobre os temas Treinamento físico para nefropatas e Aspectos relacionados ao tromboembolismo no portador de HIV, respectivamente.

Segundo a coordenadora do curso no Unit, Ana Luiza Exel, a participação dos alunos em eventos nacionais é essencial para estimular o desenvolvimento de pesquisas na área, além da vivência, aprendizado, interação e troca de experiências com profissionais de diferentes regiões.

Sarah comenta que graças ao apoio e à parceria com o Hospital do coração de Alagoas não houve dificuldade para conclusão da pesquisa. “A pesquisa é uma forma de continuar na busca por novos conhecimentos, novas respostas e evidências para que a prática da Fisioterapia aconteça da melhor forma, garantindo o êxito do nosso trabalho e melhores condições de atendimento para o paciente. O estudo aprimorou os conhecimentos sobre a atuação fisioterapêutica com idosos. Com os resultados dessa pesquisa espero contribuir para o aperfeiçoamento da abordagem terapêutica”, destaca.

Compartilhe: