MENU

Egresso de Engenharia Mecatrônica é aprovado em mestrado do ITA

Arthur Moreno irá continuar os estudos no Instituto Tecnológico de Aeronáutica

às 20h27
Para muitos aspirantes a engenheiros, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica parece um sonho distante, quase inatingível. Mas para o ex-aluno de Engenharia Mecatrônica, Arthur Moreno, essa conquista está bem próxima da realidade: ele foi aprovado para fazer uma pós-graduação na instituição.
O professor Agnaldo Cardozo, o aluno Arthur Moreno e o professor Isaac Nunes
O professor Agnaldo Cardozo, o aluno Arthur Moreno e o professor Isaac Nunes
Compartilhe:

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica e Computação – Sistemas e Controle – escolhido por Arthur – será desenvolvido no Departamento de Engenharia Eletrônica e Computação em  Sistemas e Controle no Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA – em São José dos Campos, interior de São Paulo. A pós tem um tema voltado para fusão de sensores (Câmera + Inertial Navigation Systems) via Filtragem de Kalman para navegação distribuída.

O problema de navegação e guiamento é clássico, como foram retratados em “A Odisseia” de Homero, e “Os Lusíadas”, de Camões. Na antiguidade os navegantes realizavam esta tarefa via procedimentos visuais de localização dos astros (as “três marias” ou cinturão de Órion informando o Norte geográfico). “Hoje este trabalho é realizado por intermédio de sensores os quais a fusão de informação melhoram a precisão, reduzindo-a de centenas de metros a alguns centímetros. Em síntese, estes conceitos, atualmente, estão presentes em tudo que se move, a saber: aviões, navios, carros, robôs, mísseis, satélites e inclusive no seu celular quando solicita um veículo ao UBER”, explica Arthur.

Segundo ele, a ideia de entrar no ITA vem desde os 13 anos de idade, que o estimulou a tentar o vestibular algumas vezes. Só depois de ter começado a estudar Engenharia Mecatrônica na Unit, Arthur resolveu se candidatar a uma vaga de mestrado no Instituto com o apoio dos professores: Prof. PhD. Rafael Amorim (UFAL); Prof. MSc. Agnaldo Cardozo (UNIT); Prof. PhD. Dheiver Santos (UNIT) e Prof. MSc. Isaac Nunes (UNIT).

“Então, após assistir a defesa da tese de doutorado do Prof. Rafael em 2014 no ITA, passou a ser minha meta, na época estava no quarto período. Os professores da UNIT mostraram também os seus valores quando iniciei os programas de monitoria e iniciação científica sob suas orientações. Assim pude realizar estes programas intra institucionais com êxito”, diz Arthur.

Para escolher qual o melhor programa e se preparar para disputar uma vaga, de acordo com Arthur, primeiramente deve haver um alinhamento inicial de  interesses entre os possíveis orientandos e orientadores acerca do tema ou área. Posteriormente deve ser preparado um dossiê, contendo informações pessoais e profissionais acerca de toda sua história cívica (certidão de quitação eleitoral e de obrigações militares, etc) e acadêmica (comprovantes de extensão e pesquisa – monitorias, ações sociais, Iniciação Científica, etc.). Não menos importante, o interessado deve preparar um pré-projeto naturalmente bem escrito na linha de pesquisa em questão. Para este processo não houve prova objetiva. No entanto, isso não a torna mais fácil do que os outros processos, pelo contrário, já que a instituição é vanguardista do conhecimento e os olhos de todos estão voltados para ela.

Com a matrícula feita e a moradia garantida, o engenheiro conta que o sentimento é leveza com a realização desse sonho, tendo em vista que ele precisou de aproximadamente 13 anos para concretizar.

Compartilhe: