MENU

Documentários registram memória LGBTQIA+ de Alagoas

Ideia foi aplicada em projeto de Iniciação Científica da Unit Alagoas a partir de materiais produzidos e fazendo parte do registro da memória LGBTQI+

às 19h24
Compartilhe:

Nove documentários que representam a cultura transformista em Alagoas foram editados pelo projeto de Iniciação Científica intitulado ‘Transhow – Arte Transformista em Alagoas: Memórias’. Orientado pela professora do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas (Sotepp) da Unit Alagoas, Jesana Batista Pereira e com o aluno bolsista de Comunicação, Arnaldo da Silva Ferreira Júnior, os registros foram produzidos a partir da edição de acervo de imagens de seus espetáculos ocorridos em diferentes espaços culturais de Maceió.  

De acordo com Jesana, os documentários cujas imagens e fotografias correspondem ao arquivo de nove shows perfazem 6h37min39seg (seis horas, vinte e sete minutos e trinta e nove segundos) de registro visual, seja em forma de imagens em movimento, seja em forma de fotografias. As apresentações foram idealizadas pelo Grupo Cultural de Transformistas de Alagoas – Transhow e estão programadas no Canal Wonderfull no YouTube fazendo parte do registro da memória LGBTQI+ do estado de Alagoas. 

“Este arquivo foi formado entre os anos de 2016 e janeiro de 2020 ao acompanhar o processo de produção dos shows registrando os ensaios, as montagens de cenário e preparação das personagens no making-off”, explica a docente.

Os Documentários estão editados da seguinte forma: 

Registros a partir de fotografias que ganharam montagem sequência e musicalidade: Estrelas Negras da Música Brasileira (2016); Trans Halloween – As Estrelas do Terror (2017); Nações – Trans pelo Mundo (2017) e Show da Baby Leclery (2017).

Registros que foram feitos na íntegra a partir de filmagens: Divas – Visibilidade Trans (2017); Show 8ª Bienal Internacional do Livro em Alagoas (2017); Qual é a Música? (2019); Lançamento do Canal Wonderfull (2019) e Transvisibilidades (2020).

TRANSHOW

O Grupo Transhow foi criado em 2014 por iniciativa da ACTTRANS (Associação Cultural de Travestis e Transexuais de Alagoas). Este trabalho é um retorno para o Grupo de compromisso assumido em promover a luta política pela visibilidade, respeito e reconhecimento d@as transformistas enquanto sujeitos de arte e cidadania, perfazendo o sentido extensionista do fazer acadêmico.  

O grupo tem como presidente Natascha Wonderful (primeira profissional transexual em Alagoas a utilizar o seu nome social no Registro do Coren) e diretora de arte Dinah Ferreira. Segundo depoimento da presidente, o Transhow tem o objetivo de desenvolver trabalhos culturais que levam a arte transformista aos palcos e também tem o propósito de dar oportunidade às travestis e transexuais de ingressarem no mercado de trabalho e terem uma maior inserção social. 

Compartilhe: