MENU

Dia do bibliotecário: Jadinilson conta sua paixão pela profissão

O Bibliotecário chefe da Unit Alagoas iniciou sua história na profissão em 2002

às 20h17
Jadinilson é Bibliotecário chefe da Unit Alagoas
Jadinilson é Bibliotecário chefe da Unit Alagoas
Compartilhe:

No último dia 12 de março foi celebrado o Dia do Bibliotecário. Profissão essa que pode ser considerada guardiã do conhecimento, afinal, é através deles que acadêmicos e pesquisadores podem adentrar ao mundo do conhecimento dos livros. E para celebrar essa data, nosso colaborador Jadinilson Afonso conta sua história e paixão pela profissão.  

Quando o assunto é sua trajetória profissional, o bibliotecário Jadinilson Afonso relembra e conta com orgulho sobre os momentos e experiências vividas. Atualmente Bibliotecário-chefe do  Centro Universitário Tiradentes (Unit Alagoas), ele relembra  que iniciou sua história com a profissão em 2002 trabalhando com crianças e pessoas em vulnerabilidades, e posteriormente começou a se dedicar a catalogação e registros de materiais. 

Na Unit Alagoas sua história é mais recente e cheia de momentos únicos e importantes, tanto para o profissional quanto para a instituição. “Faço parte da Unit Alagoas desde 2019, e já cheguei com um grande desafio, pois na época estávamos passando por um processo regulatório institucional, a nossa biblioteca ganhou uma infraestrutura ainda maior e renovamos/aumentamos nosso acervo, além dos eventos juntamente com os demais setores da instituição”, comentou. 

Além de ser o guia do conhecimento, o bibliotecário ainda precisa gerir e lidar com pessoas, e nesse último quesito o cuidado passa a ser ainda maior. Afinal, a maioria dos alunos quando chegam à instituição ficam fascinados, mas ao mesmo tempo possuem muitas dúvidas em como aproveitar ao máximo essa infraestrutura.

Por isso, logo na primeira semana de curso, uma visita guiada é realizada em salas de aulas, para que o aluno saiba manusear tanto o acervo físico quanto o digital que a universidade oferece. 

“Quando cursei o vestibular tentei para jornalismo, e na época tinha a reopção. O meu intuito era estudar apenas as matérias em comum e mudar em seguida para Jornalismo, mas me apaixonei pela profissão. Meu grande desafio foi conhecer o mercado, entender a função do bibliotecário.Hoje, eu tenho muito orgulho de ser esse profissional que chamo de cientista da informação. E a informação é algo que domina esse mundo globalizado, e nós bibliotecários, sabemos onde resgatar essa informação e identificar se ela é fake ou não, dando assim bastante suporte para estudiosos e pesquisadores em um país que cada vez mais cresce nesse ramo”, relata.

Compartilhe: