MENU

Descubra como agregar informações sobre intercâmbio no currículo

É preciso entender uma máxima: tudo que o profissional informar no documento precisa ser comprovado, explica a coordenadora do Unit Carreiras, Maria Luísa Teodoro

às 21h19
Participações em intercâmbios e estudos acadêmicos no exterior agregam valor ao currículo profissional (Unsplash)
Participações em intercâmbios e estudos acadêmicos no exterior agregam valor ao currículo profissional (Unsplash)
Compartilhe:

O intercâmbio no currículo mostra que a pessoa vai além do esperado para adquirir conhecimentos, que é curiosa, proativa e que sabe se virar em situações diversas. Além disso, experiências no exterior indicam competências específicas, como proficiência em idiomas e habilidades interpessoais. Porém, muitos têm dificuldade na hora de agregar as informações do intercâmbio no currículo.

Segundo a coordenadora do Unit Carreiras, Maria Luísa Teodoro, é preciso entender uma máxima na hora de construir um currículo ou atualizá-lo: tudo que o estudante informar no documento precisa ser comprovado, seja com certificados, declarações, registros, ou de forma prática. “Ou seja, eu não tenho curso de informática, mas tenho uma habilidade, então o recrutador da empresa passa um teste de informática e eu consigo resolver aquela necessidade. Portanto, a primeira máxima para construir um currículo é que eu tenha como comprovar. Em termos de intercâmbio é válido especificar no currículo o país e a cidade do exterior onde foi estudar e o objetivo do intercâmbio se foi à trabalho, lazer ou para estudar”, explica.

Ainda de acordo com a coordenadora, também é interessante aproveitar o momento do intercâmbio para fazer um voluntariado no local onde estiver. “Isso conta muito para o currículo. São informações muito importantes que precisam ser atualizadas nesse documento”, destacou. 

Outra dica importante é que não adianta preencher o currículo com muitas informações para que o documento não fique muito extenso.  “É preciso ter um filtro de como foi a experiência desse intercâmbio para que realmente faça um resumo bem direcionado a ser acrescentado no currículo”, explicou, ressaltando que ao fazer essa atualização do documento com as informações do intercâmbio é importante comunicar sobre o idioma aprendido. “Enfim, é preciso informar todo o percurso que precisou fazer para o intercâmbio”.

A assessora de Relações Internacionais do Grupo Tiradentes, Julia Gubert, informou que a mobilidade acadêmica é uma oportunidade de cursar um semestre ou dois semestres em uma instituição de Ensino Superior estrangeira. Na Universidade Tiradentes, esse processo é promovido e gerido pela Coordenação de Relações Internacionais, que seleciona e dá suporte aos alunos que decidem viver essa experiência. “Assim, nós prestamos auxílio com a documentação, no contato com a instituição estrangeira e com as dúvidas e inseguranças que o aluno pode ter durante a preparação. A experiência de cursar um semestre no exterior é transformadora para o aluno, pois ele tem contato com outra cultura, com outro idioma, outro ambiente de ensino, novas pessoas e novos desafios”, disse.

De acordo com ela, no âmbito acadêmico e profissional, a mobilidade acadêmica é uma oportunidade que o estudante tem de ampliar o networking, desenvolver a competência intercultural, ampliar a visão acerca do campo de estudos e de trabalho, além de participar de projetos novos, que possivelmente não teria acesso no Brasil. “Já no âmbito pessoal, o estudante desenvolve a independência dele, a capacidade de resolução de problemas, a autoconfiança e uma visão diferente sobre os problemas globais. Portanto, ter uma mobilidade acadêmica no currículo chama a atenção dos recrutadores porque mostra que a pessoa está aberta a desafios e provavelmente vai ter todas essas habilidades que representam um profissional qualificado e preparado”, afirmou.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: