MENU

Curso forma primeira turma de psicólogos do estado habilitados em TREC

Treinamento básico organizado por professora chamou atenção de aluno de psicologia da Unit

às 20h51
Hoje (19/09), no auditório do Best Western Premier, aconteceu um dos dias de capacitação para abordagem da Terapia Racional Emotiva Comportamental – TREC, habilitada pelo Albert Ellis Institute, reconhecido pelo New York State Education Department's (NYSED). Um dos objetivos do evento é trazer a segunda onda em terapia cognitiva, a TREC, que muitas vezes não é divulgada.
Compartilhe:

De acordo com a professora Nielky Nóbrega, é importante frisar que a Unit é a única instituição de ensino, pelo menos até um ano atrás em sua grade teórica, que aborda a terapia cognitiva.

“Na minha disciplina, eu aproveito e trago a TREC, que desperta o interesse e o conhecimento dos alunos. O Milton, que veio representando o corpo discente do Centro Universitário, está mostrando excelentes resultados ao longo do curso e está se dedicando bastante ao treinamento. É bem bacana poder ver que nosso trabalho está plantando uma semente correta e que está dando frutos legais, e ele já demonstrou interesse em fazer o treinamento avançado”, pondera Nielky.

A TREC é um tipo de terapia cognitivo comportamental focada na mudança do que os psicólogos chamam de crenças irracionais, que consistem em diferentes esquemas e formas de pensar que o indivíduo vai estabelecendo desde criança frente aos acontecimentos que da  vida. Desta forma, ele passa a enxergar a vida através de ângulos que nem sempre são reais ou saudáveis. A supervisora do curso, María Celeste Airaldi, conta que um dos maiores desafios de palestrar em um local novo é de conseguir adaptar a terapia a realidade do local.

“Eu venho bastante ao Brasil fazer esse tipo de treinamento e é a primeira vez que venho à Maceió. Acho interessante que quando venho para cá, percebo que há sempre questões culturais que variam de região para região. Então, o nordestino tem suas próprias características e é bem legal ver como isso se manifesta no curso e como a gente pode adaptar um tipo de terapia que comprovou ser eficaz, respeitando as características culturais de cada lugar”, diz a terapeuta.

O aluno Milton Lopes, conta que pretende colocar o que aprendeu em prática, e confirma o que a professora falou sobre continuar avançando nessa abordagem.

“Provavelmente os próximos cursos não serão aqui, mas pretendo me organizar para ir no Paraguai onde a professora atua, ou irei aguardar a continuação aqui no Brasil em outro estado”, diz Milton.

Compartilhe: