MENU

Curso de Engenharia Ambiental inaugura projeto sustentável no campus

O reator biológico de nano-membranas para tratamento de efluentes já iniciou o processo de pré-operação

às 18h39
Os Professores Libel Pereira da Fonseca, Marcius Omena e a aluna Rafaela Oliveira, do 10º período do curso de Engenharia Ambiental, estão a poucos passos de colocar em prática um projeto, que tem como objetivo principal, usar a tecnologia como fonte de conhecimento no Centro Universidade Tiradentes – Unit. A ação se trata de um sistema de tratamento conhecido como BioGill, marcado pela simplicidade e que foi possível graças a uma parceria entre a Unit e a empresa Essencial, representante da BioGill Austrália no Brasil.
Compartilhe:

Essa tecnologia já está no mercado há pelo menos 10 anos e conta com a aprovação de diversos usuários e agências ambientais internacionais. São garantidos percentuais de remoção de 90% da carga orgânica (DBO) no tratamento de esgoto doméstico, possibilitando alternativas de reuso após este tratamento.

Segundo o professor Marcius Omena, o primeiro estudo tem duração de seis meses e os primeiros resultados serão apresentados em dois meses. A ideia é buscar tecnologias que não existam no Brasil e melhorar os sistemas vigentes. Por se tratar da área de Meio Ambiente, os engenheiros enfrentam grandes desafios para encontrar soluções inovadoras, com alto grau de tecnologia, que suportem as necessidades dos empreendedores.

“Contudo, diante dos objetivos que nos propusemos – de formação dos estudantes e aproximação da academia e do mercado – os primeiros frutos já estão sendo colhidos então nós já poderemos ter aulas de campo e apresentações vinculadas à biotecnologia da BioGill”, conta Marcius.

No segundo semestre de 2017 a oportunidade de se instalar um reator biológico da BioGill foi formalizada, decidindo-se pela sua instalação no Campus Amélia Maria Uchôa da Unit. No fim do ano passado, o reator foi transladado e no último 29/01/2018 a planta foi colocada em processo de pré-operação para formação do biofilme.

Trabalhos acadêmicos

O primeiro projeto escolhido tem o título de “Unidade Experimental de Tratamento de Efluentes Domésticos usando Tecnologia de Membranas Nano-Cerâmicas”. Esse primeiro projeto foi escolhido para familiarizar tanto os professores como os alunos com a tecnologia.

O segundo projeto está relacionado ao tratamento de chorume – líquido gerado da decomposição dos materiais presentes num aterro sanitário e até mesmo dos chamados “lixões”, ou aterros irregulares. O chorume tem uma alta dificuldade de degradação, dada à mistura de elementos presentes no lixo gerado pelas comunidades, e ainda é um problema grave para os gestores municipais. Além disso, em decorrência da diversidade local de produtos e qualidade do lixo gerado, cada chorume pode ter uma característica bem peculiar, o que o torno um desafio para os engenheiros.

Como funciona

O coração da tecnologia é uma membrana nano-cerâmica especial – “gill” – que fornece o suporte ideal para crescimento e desenvolvimento de uma biomassa ativa e saudável. À medida que a biomassa está formada sobre a membrana e o processo de tratamento vai acontecendo, o crescimento e desempenho metabólico dos microrganismos são maximizados.

Em comparação com outros processos aeróbicos de tratamento de águas residuais, que possuem os reatores enterrados, o biorreator BioGill apresenta a grande vantagem de ser um sistema de tratamento totalmente construído sobre o solo.

O professor Marcius conta que a decisão de não instalar um sistema de automação de mercado, tem a intenção de dar oportunidade aos alunos e professores de Engenharia Mecatrônica, de desenvolverem e testarem novos instrumentos.

Compartilhe: