MENU

Conheça o Caiite

Entre as principais missões do Caiite estão a integração de profissionais pesquisadores em seus propósitos científicos; e a socialização das ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas por essas instituições de ensino superior em Alagoas

às 18h22
Compartilhe:

Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia (Caiite) já se tornou um marco importante para o desenvolvimento da educação científica, tecnológica e cultural do Estado de Alagoas. Oriundo de experiências anteriores realizadas por diversas Instituições de Ensino Superior em Alagoas, mas até então de forma individualizada e isolada, foi proposto e executado pela primeira vez em abril de 2013,  em um formato inovador, reunindo, naquela ocasião, instituições de ensino superior que aceitaram o desafio de unir seus esforços e sua excelência num único e inovador empreendimento acadêmico-científico em prol da sociedade alagoana.

Batizado de Caiite, numa clara alusão e homenagem aos habitantes autóctones do território alagoano – os índios caetés –, apontados pela literatura especializada, no Tratado Descritivo do Brasil em 1587, de Gabriel Soares de Souza, como grandes músicos, amigos do bailar e exímios pescadores de linha, qualidades ou habilidades que remetem às tecnologias e às artes. A iniciativa, pioneira e original, partiu de um grupo de pesquisadores e gestores comprometidos com a publicização da Ciência, da Tecnologia e das Artes e unidos pela convicção de que, como os índios caetés, em grupo somos mais fortes, mais produtivos e temos melhores condições de firmar compromissos para a transformação do Estado.

Em sua primeira edição, o Caiite estabeleceu-se como importante espaço de discussão, de circulação de informações e de saberes resultantes de pesquisas, de experiências inovadoras no campo tecnológico e daquelas oriundas de práticas extensionistas realizadas por professores e estudantes. Além disso, o evento disponibilizou, para um público efetivo de cerca de 20 mil pessoas, 364 atividades (palestras, mesas-redondas, oficinas, minicursos); 464 trabalhos de estudantes universitários no formato de banner; 2.019 estudantes de escolas públicas; e 622 palestrantes, além de mobilizar 130 pessoas em sua organização. Por causa desses números e tamanha interação, constitui-se importante espaço para a definição de políticas educacionais estratégicas para Alagoas, garantindo, entre seus convidados, a presença de especialistas e de gestores educacionais nacionais.

Em sua segunda edição, que foi realizada de 18 a 23 de agosto de 2014, no Centro de Convenções Ruth Cardoso, o Caiite elegeu “Tecnologias e Educação: soluções inovadoras” como tema, tendo em vista a complexidade, os impactos e os desafios dessa discussão na contemporaneidade. Mais uma novidade desta edição foi a parceria de outra instituição de ensino superior, que se somou às cinco que encabeçaram o Caiite 2013: a UNCISAL, agregando valor à iniciativa. Outra novidade foi a inclusão social que também fez parte do evento. O público surdo contou com a participação de diversos tradutores da Língua Brasileira de Sinais (Libras) em diversas atividades.

Durante os seis dias, o Caiite 2014 reuniu um público superior a 45 mil pessoas entre educadores, estudantes de ensino superior, médio e fundamental, gestores públicos, empresários, pessoas ligadas a diferentes movimentos sociais e setores da Economia, Cultura, Ciência e Tecnologia em 86 espaços criados para 720 atividades inseridas na programação (palestras, mesas-redondas, oficinas, minicursos); 993 apresentações de trabalhos na modalidade comunicação oral e banner; 101 escolas visitantes; 6.500 estudantes de escolas do ensino fundamental e médio; 1.200 pessoas por dia estiveram presentes no 5º Festival de Música da Ufal (Femufal).

Além das atividades promovidas em Maceió, o evento esteve nas demais unidades de ensino, com variada programação para todos os públicos. O Campus Arapiraca recebeu, aproximadamente, 70 atividades coordenadas por cerca de 50 docentes. Um total de 68 trabalhos foram apresentados na modalidade banner e 89 na modalidade comunicação oral. Também houve programação na Unidade de Ensino de Penedo.

O Campus do Sertão também foi contemplado. A Unidade de Santana do Ipanema, por exemplo, recebeu programação cultural com apresentação do Coral de Senhoras da Secretaria de Assistência Social do município, um trio pé-de-serra e uma banda formada por estudantes, além de mesas-redondas, minicursos, palestras e oficinas para cerca de 600 pessoas, incluindo universitários, professores do ensino superior e educação básica, servidores das secretarias da cidade e pessoas da sociedade em geral.

Através dessa iniciativa, instituições de ensino superior em Alagoas reafirmam seu compromisso permanente com a sociedade alagoana por meio da formação de quadros teóricos e técnicos com excelência acadêmica; da criação de instrumentos para aferir tendências da sociedade e do mercado de trabalho; da disponibilização de aporte teórico-prático para o desenvolvimento de projetos com impacto social, econômico e cultural; da produção de conteúdos que estabeleçam interface com o sistema educacional e o setor produtivo; e da promoção de instrumentos para a realização de parcerias direcionadas à formação e ao aperfeiçoamento profissional.

Caiite 2014 superou todas as expectativas, sobretudo a sua proposta de integração interinstitucionalizada e atraiu, além da comunidade acadêmica, a sociedade em geral e a visitação das escolas de ensino fundamental e médio.

Em sua terceira edição, que será realizada no período de 15 a 20 de junho, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, o Caiite 2015 estabeleceu como tema central “Desafios para Alagoas”, dividido em seis eixos: Educação e Tecnologias; Desenvolvimento e Mobilidade Urbana; Segurança e Direitos Humanos; Atenção Integral à Saúde; Desenvolvimento Econômico e Sustentabilidade; e Cultura e Comunicação.

Entre as principais missões do Caiite estão a integração de profissionais pesquisadores em seus propósitos científicos; e a socialização das ações de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas por essas instituições de ensino superior em Alagoas, disponibilizando fóruns de discussões abertos ao público interessado, aproximando, dessa forma, o conhecimento por elas produzido da sociedade, em uma relação transformadora da realidade.

Outra importante missão do Caiite é integrar as escolas de ensino fundamental e médio às realizações das instituições de ensino superior, promovendo o interesse de crianças e adolescentes oriundos das redes pública e privada de educação pela ciência e estimulando seu ingresso num curso superior. Despertar na juventude a noção da importância da ciência e das tecnologias inovadoras é garantir um amanhã mais promissor às futuras gerações de alagoanos, hoje ainda grandemente excluídas desse acesso, apesar das políticas de inclusão desenvolvidas pelo governo federal, a exemplo da instituição de cotas, das bolsas assistenciais de permanência, do Prouni, entre outras.

 

Compartilhe: