V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Checagem de fatos e gerenciamento de crise foram temas do último dia do CDJ

Estiveram presentes jornalistas renomados do mercado alagoano e nacional para discutir sobre os assuntos da noite

às 17h39
A 9ª edição do Conversa de Jornalista se encerrou nesta terça-feira (6) e ficou marcada pela presença de jornalistas renomados do mercado alagoano e nacional. Na última noite do evento, que é realizado pelo Centro Universitário Tiradentes, em Maceió, foi discutido a checagem dos fatos para produção de notícias e o gerenciamento de crise na era digital, debatido pelo Jornalista Mário Rosa.
Compartilhe:

Para combater as notícias falsas em meio a uma crise, de acordo com Mário, é necessário ter um plano de ação objetiva, além de ter uma forma de transmiti-lo às pessoas de maneira convincente.

“Não adianta você ter uma ação perfeita se a percepção das pessoas sobre a sua forma de agir for ruim. As crises vão mudando de comunicação, elas deixaram o meio analógico, então é preciso utilizar das múltiplas plataformas, medir as consequências, as pesquisas de opinião para começar a se trabalhar na percepção para que as pessoas entendam que essa percepção não tinha nada a ver com o que está acontecendo na realidade”, explicou.

Mário ressaltou ainda que as crises que o Jornalismo vem passando no seu modelo de negócio são devidas à transformação que a sociedade está passando, como também a produção de escândalos por meio da customização.

“É necessário pessoas que nos ajudem a pensar. Tem mercado para os vendedores de mentira porque mentir é de graça. Vai ter várias opções. A sociedade vai exigir mais do jornalismo, não como o do Cidadão Kane no passado, mas vai ter várias vozes, nichos que as pessoas vão saber quais são os bons e os ruins”, falou.

Os assuntos discutidos no evento foram bem aceitos para os estudantes Nazário Júnior e Rafael. Eles frisaram a importância da participação de profissionais da área.

“Evento bastante importante. Quem ganha é a população, os ouvintes, leitores e telespectadores”, disse Nazário que esteve presente nos dois dias do Conversa de Jornalista deste ano.

Mesa Redonda

A segunda noite do Conversa de Jornalista também discutiu sobre a importância de checar os fatos corretamente durante a mesa redonda “Checagem de fatos em produção de notícias: uma perspectiva local”. Os convidados experientes no jornalismo investigativo alagoano, Milena Andrade, Carlos Nealdo e Fátima Almeida elucidaram que em todas as ocasiões não é preciso ter pressa, pois uma boa apuração é a prioridade.

“A pauta não cai no colo todo dia, isso me faz aprender a buscar. Se informar é uma forma de se treinar, pois não adianta ter dados e não saber extrair algo deles”, disse a jornalista Milena Andrade, acrescentando que investigar é o contrário de rapidez.

Na ocasião, Carlos Nealdo ainda relembrou que as notícias falsas sempre existiram e eram chamadas de ‘barrigada’. Segundo ele, ao contrário dos dias atuais, elas tinham a intenção de acertar.

Para encerrar a mesa, a jornalista Fátima Almeida frisou que as ‘fake news’ é crime e uma arma contra a democracia. “Acaba com a família e com a vida, é isso que as notícias falsas fazem. Liberdade de expressão não é destruir. Nós temos que ter o benefício da dúvida, já que toda informação tem mais de um lado.”

Conversa de Jornalista – O evento é uma realização do Centro Universitário Tiradentes (Unit), em Maceió, e conta com o apoio de alunos das áreas de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da instituição. Neste ano, o evento acontece dentro da 6ª Semana de Pesquisa (SEMPesq). A proposta é debater sobre temas atuais da Comunicação e oferecer a oportunidade da troca de experiências com profissionais conceituados do Jornalismo.

MAIS INFORMAÇÕES:

Facebook: conversadejornalista (https://goo.gl/gvGKaK).

Instagram: @conversadejornalista

Twitter: @convjornalista

Release por assessoria do evento.

Compartilhe: