MENU

As tendências da administração para depois da pandemia

Com as mudanças impostas pela pandemia na rotina de trabalho, as empresas sólidas serão aquelas que conseguirão se adaptar às inovações

às 20h56
Os impactos sofridos com a pandemia ajudaram as empresas a abrir os olhos para as possibilidades que antes eram subutilizadas (Unsplash)
Os impactos sofridos com a pandemia ajudaram as empresas a abrir os olhos para as possibilidades que antes eram subutilizadas (Unsplash)
Compartilhe:

Com as transformações sofridas pelas empresas durante a pandemia, que exigiram ajustes, adaptações e incorporação de novos processos de gestão, algumas tendências se efetivaram e devem perdurar. O desafio dos administradores é identificar quais aprendizados podem servir de motivação para seguir inovando no pós-pandemia.

Os impactos sofridos com a crise sanitária ajudaram as empresas a abrir os olhos para as possibilidades que antes eram subutilizadas. Desde as jornadas mais flexíveis, com o trabalho remoto, à digitalização de processos e rotinas que devem perdurar por mais tempo. O crescimento exponencial do uso da tecnologia não é mais tendência, é um fato.

Mas se a maior digitalização das rotinas de trabalho já é visível, a preocupação com o fator humano será igualmente importante. Afinal, são as pessoas que analisam os dados, contextualizam as informações para gerar criatividade e evolução. Por isso mesmo, as empresas mais atualizadas com seu tempo são as que estimulam seus funcionários para seguirem aprendendo e requalificando suas competências.

Qualificação 

O treinamento dos colaboradores é uma das formas da empresa valorizá-los. Além disso, é de grande importância manter o time sempre atualizado para as atuais e futuras demandas da gestão. Funcionários preparados para as novas tecnologias serão cada vez mais necessários, assim como as ferramentas diferenciadas que vão continuar surgindo no mercado. 

Ter trabalhadores que dominam temáticas como a da inteligência artificial, softwares diversos e internet das coisas é estratégico para impulsionar um negócio. E com o trabalho remoto em evidência, bem como a digitalização, o investimento em treinamentos online remove uma dificuldade na busca de requalificação. 

Trabalho remoto

Segundo um estudo realizado pela Fundação Instituto de Administração (FIA) em abril de 2020, 46% das empresas adotaram o trabalho remoto durante a pandemia. A maneira como os líderes reagiram à necessidade de distanciamento social imposta de forma repentina refletirá no futuro da organização. O chamado home office veio para ficar, a depender dos funcionários que viram algumas vantagens do formato

Essencial na crise, foi adotado por empresas como uma boa opção para determinadas funções, como a área de TI (Tecnologia da Informação), por exemplo, uma das que mais realiza trabalho remoto. Em relação a este segmento, o reforço da infraestrutura tecnológica mostrou a possibilidade de digitalização de diversos processos, algo que deve ser ainda mais ampliado após a experiência emergencial. 

Empatia

Em se tratando de pessoas, a empatia na gestão, essencial numa crise, é também uma estratégia para fortalecer o engajamento dos funcionários depois dela. A capacidade do gestor e demais colaboradores de se colocar no lugar do outro já vem sendo muito valorizada no mundo empresarial e deve receber ainda mais atenção após todas as duras lições que ficaram da pandemia. 

Profissionais que entendem o sentimento do colega criam laços mais fortes e alcançam melhores resultados, tanto internamente quanto com a sua clientela. A diversidade que tem sido buscada dentro das empresas requer bom relacionamento e colaboração com os mais diferentes tipos de pessoas e a empatia ajuda nisso também. 

Cibersegurança

Empresários devem aumentar o investimento em medidas de segurança voltadas a tecnologia é vital para as empresas que não querem correr o risco de um ataque hacker que ponha em questão seu sistema de operações. Empresas de todos os portes precisam estar atentas à possibilidade de invasão e sequestro de seus dados e se precaver com maiores restrições a determinados dados e uso de backup. 

Os gestores são os responsáveis por planejar estratégias para crescer de forma sustentável e as mudanças são esperadas, acontecendo cada vez mais rapidamente.  As empresas sólidas serão aquelas que conseguirão entender adaptar as tendências à sua realidade.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: