MENU

Arquitetura de restauração mantém traços do passado no presente

Especialista em recuperar antigas construções, o arquiteto de restauração não trabalha apenas com patrimônio cultural edificado

às 20h58
Os primeiros procedimentos de restauração no Brasil buscavam descobrir os traços originais das edificações
Os primeiros procedimentos de restauração no Brasil buscavam descobrir os traços originais das edificações
Compartilhe:

A beleza da imperfeição de uma ruína pode ser o diferencial de uma paisagem urbana construída. Preservar o antigo, não apenas pelo valor patrimonial e histórico, mas ressignificando a estética e utilização cultural no momento presente, faz parte das atribuições da Arquitetura de Restauração. 

Neste segmento, o profissional executa projetos e conduz obras arquitetônicas, articulando restauração e conservação, reestruturação e, muitas vezes, a reconstrução para a devolução de espaços de imenso valor histórico à comunidade. Reforma elementos originais ou os substitui mantendo a sua essência. 

Não se trata somente de restaurar uma construção antiga, tombada por órgãos de conservação do patrimônio. Ao intervir numa determinada construção histórica, o profissional atribui valor ao conjunto arquitetônico, podendo inclusive provocar seu tombamento. 

Formação e especialização

O arquiteto restaurador ou de restauro é o profissional especializado para este tipo de trabalho, que envolve pesquisa histórica do imóvel, sua localização, origem e contexto. Antes do projeto ser efetivado, é preciso entender a edificação, sendo para tanto necessário identificar os elementos característicos, técnica construtiva, estrutura, ornamentos e bens artísticos integrados.

A análise das patologias, ou seja, dos problemas que surgem por conta do tempo ou ação do homem também deve constar no projeto que vai buscar recompor o espaço e lhe dar um significado novo, mantendo a sua personalidade. O profissional tenta viabilizar o uso de uma edificação e trazer suas potencialidades estéticas para a atualidade. 

Seu trabalho reflete o passado, a memória, num diálogo com o presente sobre o patrimônio construído de uma forma geral. A temática da preservação do patrimônio cultural integra o conteúdo obrigatório na formação dos arquitetos e urbanistas. Além disso, também é uma das muitas possibilidades de aprofundamento e especialização numa pós-graduação. 

Intervenção do arquiteto

Os primeiros procedimentos de restauração no Brasil buscavam descobrir os traços originais das edificações, que por vezes ficam encobertos por reformas mal feitas. A restauração do patrimônio tombado buscou reconstituir o patrimônio original nacional. 

Contemporaneamente, a restauração é uma ação cultural do arquiteto, que, com sua sensibilidade e capacidade técnica, proporciona às cidades espaços novos, readequados e que atualizam as memórias passadas. Não se trata exclusivamente de uma atividade articulada aos órgãos de preservação.

O arquiteto restaurador não trabalha apenas com patrimônio histórico. Mesmo que um imóvel não seja tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), ele também pode ser reformado mantendo sua essência temporal, caso apresente características próprias, que marquem determinada época. 

Além disso, o arquiteto especialista em restauro também atua executando vistorias, fazendo diagnósticos e propondo soluções para questões específicas de restauração. Pode ainda exercer cargos públicos através de concurso dentro da especialidade. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: