MENU

Alunos de Medicina fazem campanha de prevenção de DSTs

Foram realizados testes rápidos com pacientes da Policlínica, além de orientações sobre a importância do uso de preservativos

às 12h41
Compartilhe:

Independente de ser Carnaval, sempre é tempo de se falar sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Diante do tema, alunos do internato de Medicina do Centro Universitário Tiradentes – Unit AL realizaram, nessa terça-feira (11), testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite B e C em pacientes da Policlínica, como também orientações sobre a importância do sexo com preservativo.

A preocupação deve existir no ano todo, mas no Carnaval as campanhas são intensificadas para elevar o tom de alarme, principalmente para os mais jovens, que não possuem tanto o hábito ou preocupação de usar preservativos. “É fundamental educar a população, especialmente nessa época de Carnaval, quando o risco de contrair e transmitir uma doença séria aumenta consideravelmente”, ressaltou a aluna Karine Chaves.

Saiba mais sobre as DST:

HIV/Aids

O vírus da imunodeficiência humana é o causador da Aids, que ataca o sistema imunológico e derruba o sistema de defesa do organismo. Usar camisinha é a forma de proteção!

No Brasil, a epidemia de HIV/Aids é considerada estabilizada, mas vem avançando entre os mais jovens. O tratamento contínuo ao HIV pode controlar a doença, garantir a sobrevida dos infectados e tornar o vírus indetectável.

Sífilis

Transmitida pela bactéria Treponema pallidum, a infecção apresenta diferentes estágios, do primário ao terciário, e tem maior potencial de infecção nas duas primeiras fases. É transmitida por relações sexuais ou pode ser passada da gestante para o bebê. O tratamento da doença é gratuito na rede pública, feito com penicilina.

HPV

O Papilomavírus Humano existe com mais de 200 variações e se manifesta por meio de formações verrugosas – que podem aparecer no pênis, vulva, vagina, ânus, colo do útero, boca ou garganta. O sexo é a principal forma de transmissão do HPV, seja pelo coito ou pelo sexo oral.

Hepatite B ou C

A hepatite B é transmitida sexualmente, e também por transfusão de sangue e compartilhamento de material para uso de drogas, entre outros. As mesmas formas valem para a hepatite C, mas a transmissão sexual é mais rara, por isso, ela não é considerada propriamente uma infecção sexualmente transmissível. A vacina contra a hepatite B é gratuita e disponível na rede pública. Ainda não há vacinas para a hepatite C.

Vale lembrar que toda forma de se prevenir é com o uso de preservativos. O Ministério da Saúde os disponibiliza, gratuitamente, nos postos de saúde, tanto masculinos, quanto femininos.

Compartilhe: