MENU

Alunas propõem projeto de intervenção urbana nas faixas de pedestre

O grupo fez desenhos criativos com cal e corante em faixas apagadas

às 15h45
As estudantes Anelise Bomfim, Ariza Vieira, Maria Heduarda Vasconcelos e Thamara Victoria dos Anjos, do curso de Arquitetura e Urbanismo, se inspiraram no êxito do projeto “As Cores Mudam” e resolveram chamar novamente a atenção dos órgãos públicos aos problemas nas vias da cidade. A iniciativa faz parte de uma avaliação da disciplina de Práticas e Urbanismo, de segundo período, lecionada pelo professor Renan Durval.
Compartilhe:

O objetivo da atividade proposta pelo professor consiste em detectar problemas na cidade que influenciassem no dia a dia. “Como andamos de carro, pudemos notar a ausência de faixas de pedestres, algumas meio apagadas, onde os carros não respeitavam e até mesmo lugares que tinham faixas, mas não tinham calçada adequada para cadeirantes. Ou tinha a rampa e não tinha a faixa, dificultando a acessibilidade para PcD (pessoas com deficiência)”, conta uma das idealizadoras, Ariza Vieira.

O intuito das alunas é de ajudar a desenvolver a percepção urbana e atrair os olhares para um problema que nem sempre é tão cobrado. As meninas escolheram ruas de bastante fluxo de pedestres (Sandoval Arroxelas, Cruz das Almas, Abdon Arroxelas) e horários com pouco fluxo de veículos para viabilizar a ideia, e ainda registraram a ação no Instagram (@cadeafaixa.mcz).

Alguns dos resultados esperados da atividade é que o problema seja resolvido, não só onde foi sinalizado, mas em toda a cidade. Como também, alertar a população e as autoridades para um problema urbano importante, e assim, promover maior segurança na travessia e funcionamento no trânsito de Maceió, já que o pedestre também faz parte do trânsito.

Compartilhe: