MENU

Alunas apresentam trabalhos em simpósio internacional

Elas expuseram trabalhos na área de gastroenterologia

às 20h43
As estudantes Fernanda Loureiro e Thaísa Moretti, do 8º período de Medicina, participaram do XII Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva apresentando pesquisas feitas na área. Ambas foram orientadas pelo Dr. Daniel Costa, professor de Gastroenterologia da Unit e tutor da Liga de Gastroenterologia e Nutrologia da Unit (LAGEU).
Compartilhe:

“Aproveitamos para agradecê-lo pela disponibilidade, dedicação e paciência. Profissionais como ele devem ser reconhecidos e incentivados”, diz Thaísa.

O trabalho de Fernanda foi sobre a epidemiologia da esquistossomose em Alagoas, e o de Thaísa, foi sobre uma abordagem minimante invasiva – a CPRE – que é alternativa à cirurgia tradicional para reparo de fístula (conexão anormal) entre vias biliares e pulmão, que pode ocorrer em algumas patologias.

Os objetivos da pesquisa de Thaísa foram de ampliar o conhecimento acerca de uma técnica chamada CPRE, sendo aplicada como alternativa terapêutica para uma complicação que até então era abordada cirurgicamente, o que era mais sujeito a complicações. E, por fim, o objetivo do trabalho de Fernanda foi fazer um levantamento do número de casos de esquistossomose no Estado de Alagoas, bem como dos casos tratados e notificados. A pesquisa também buscou saber o número total de casos e como isso é abordado pelo sistema de saúde para se pensar em novas estratégias de profilaxia, tratamento e políticas públicas.

As alunas contam que por se tratar de uma patologia rara, onde os estudos e pesquisa são escassos, foi um desafio conseguir embasar teoricamente os trabalhos. Elas também notaram a falha de alimentação das bases de dados do SUS, pelos próprios profissionais de saúde, tendo em vista que a esquistossomose é de notificação compulsória.

Sobre os benefícios de participar de eventos da Medicina, Thaísa conta que a experiência de ter participado de conferências e palestras de aplicabilidade prática e abordagem em situações de emergências clínicas e cirúrgicas, contribui aos estudantes novos conhecimentos na comunidade acadêmica e médica. “A produção científica nos impulsiona na busca do conhecimento, que nunca cessa, e é muito importante na formação continuada necessária na vida do profissional médico, mesmo formado. Além disso, participar desses eventos nos insere nas comunidades acadêmica e médica”, finaliza a aluna.

Compartilhe: