MENU

Além do entretenimento: o cinema nacional como produtor de realidades

Comemorado no último sábado, o Dia do Cinema Brasileiro reflete a importância da produção da sétima arte no país

às 17h49
Compartilhe:

Mais do que puro entretenimento e diversão, a produção de filmes tem um papel fundamental de trazer crítica e reflexão sobre o mundo no qual vivemos. No Brasil não é diferente, muitos filmes têm ganhado importância por apontarem fatos e representarem a sociedade em diferentes situações. É por isso o Dia do Cinema Brasileiro (19 de junho), além da celebração, é um momento de valorização. 

O professor da Unit Alagoas, Walcler Mendes, sempre leva obras cinematográficas nacionais para suas aulas, projetos, pesquisas e trabalhos. “Experiências do cinema brasileiro como filmografias, dicção e Análise de Discurso refletem, de alguma forma, aspectos da história e da cultura brasileira. Pensando muito como um campo reflexivo, nos filmes são depositados signos e questões da nossa sociedade que são devolvidas, retraduzias”, explica.

De acordo com o docente, analisar as produções feitas em períodos históricos como o Estado Novo ou a Ditadura Militar são interessantes para se observar se o que está sendo mostrado é um evitamento, não se pode falar sobre, ou uma tentativa de crítica ou diálogo com o momento social, político e histórico.

Ele também pontua o período de 2003 a 2014 (governos de Lula e Dilma) como um momento de oxigenação democrática do Cinema Brasileiro devido ao alto número de produções em diferentes aspectos e em uma boa qualidade. “Minorias como os movimentos LGBTQI+, as questões raciais, os contrastes sociais, o Nordeste desenvolvido e uma zona rural ainda sob comando do coronel são aspectos que eu trago para sala de aula, grupos de pesquisa, discussões acadêmicas a partir de filmes”, explica.

Para além da representação, Walcler observa o cinema como produtor de realidades, de signos que interferem nas nossa percepção do real. “É um campo reflexivo que você deposita signos e ele te devolve esse signo retraduzido a partir de diferentes aspectos que vão desde a linguagem a questões tecnológicas, tudo isso eu discuto bastante na trajetória acadêmica e como profissional”, finaliza.

Valorize o cinema nacional!

Compartilhe: