MENU

A Psicologia está cada vez mais presente no mundo corporativo

Profissional da Psicologia é o mediador entre os anseios e desejos das pessoas e a cultura corporativa, além de colaborar com uma saúde mental melhor

às 19h02
O forte estresse do ambiente de trabalho e os danos à saúde mental têm exigido muito trabalho dos profissionais de Psicologia (Unsplash)
O forte estresse do ambiente de trabalho e os danos à saúde mental têm exigido muito trabalho dos profissionais de Psicologia (Unsplash)
Compartilhe:

A colaboração da Psicologia no mundo do trabalho, ou mais especificamente, dentro das empresas, se dará de diferentes maneiras. Ela pode acontecer desde o processo de recrutamento e seleção, no treinamento dos colaboradores ou ainda, como atividade fim, sendo um suporte oferecido aos trabalhadores em casos preventivos ou de tratamento psicossocial.

No primeiro caso aqui mencionado, identificado como Psicologia Organizacional, o objetivo será estudar os fenômenos psicológicos envolvidos nas relações para entender como o ambiente afeta o trabalhador e como este afeta o ambiente, para estabelecer assim o bem-estar de todos os integrantes. Geralmente, está aliada ao setor de recursos humanos, trabalhando sobretudo para manter a motivação do time.

Não é pequeno o número de profissionais que atualmente passam por sofrimentos decorrentes de transtornos como depressão e ansiedade, por exemplo. São problemas que, além de comprometer a saúde física e o bem-estar individual, consequentemente vão afetar a qualidade das atividades laborais e das relações interpessoais no ambiente organizacional.

O profissional de Psicologia também está nas empresas desempenhando o papel de mediador entre os anseios e desejos das pessoas e a cultura corporativa. É um segmento que se torna ainda mais importante devido às transformações contemporâneas no mundo do trabalho, atuando na prevenção de problemas de saúde mental e na criação de um ambiente com bom clima organizacional. 

Programas de saúde mental

O mundo já reconhece uma crise global de saúde mental. No Brasil, são exatamente  18 milhões de pessoas com algum distúrbio, o que representa quase 10% da população, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2019, por exemplo, a síndrome de burnout foi reconhecida como doença ocupacional, por ser causada pelo excesso de estresse no trabalho.

As pessoas passam a maior parte de seu dia no trabalho, sujeitas a fortes pressões por resultados, muita competitividade interna e externa, instabilidade econômica que ameaça a empregabilidade e muitas horas extras trabalhadas. Estas são apenas algumas das causas que têm adoecido os trabalhadores e, consequentemente, as próprias empresas. 

A percepção geral de que as coisas não andam bem tem feito aumentar a preocupação dessas empresas com o bem-estar e a saúde mental dos funcionários, porque o número de pessoas afastadas de suas funções laborais por conta de ansiedade e depressão tem crescido no país. 

Alerta de saúde

Foi a própria OMS quem fez o alerta quanto ao prejuízo que os transtornos mentais podem causar à economia, o que levou várias grandes empresas a criarem políticas ou programas internos de saúde mental voltados para os seus funcionários. Tal atitude representa proporcionar um ambiente onde os trabalhadores se sintam encorajados a compartilhar pensamentos. 

É por meio da educação que o trabalho do psicólogo tem início dentro das empresas. Palestras, campanhas, workshops e cartazes ajudam a afastar a ignorância e o preconceito de falar sobre o assunto e, principalmente, quando e como buscar ajuda

O psicólogo que atua dentro das empresas, ou prestando serviço a elas, precisa estar preparado para atuar no segmento, sabendo olhar para a pessoa como um trabalhador e entendendo de saúde ocupacional. Muitas pessoas, mesmo em sofrimento, seguem em silêncio por medo de perder o emprego ou ficar estigmatizadas diante de colegas e chefes. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: