MENU

A música de Raul Seixas e seu legado na cultura

Um dos maiores ícones do rock brasileiro, o baiano Raul Seixas deixou um enorme legado musical que até hoje é revivido por uma legião de fãs.

às 13h29
Com um repertório que mistura o rock à MPB e a ritmos brasileiros, Raul Seixas (1945-1989) deixou canções marcantes (Ed.Todavia/Divulgação)
Com um repertório que mistura o rock à MPB e a ritmos brasileiros, Raul Seixas (1945-1989) deixou canções marcantes (Ed.Todavia/Divulgação)
Compartilhe:

Já são 32 anos da partida do ‘Maluco Beleza’, uma figura emblemática que deixou um vasto legado musical, e que até hoje é revivido por uma legião de fãs de todas as idades. Raul Seixas foi embora cedo, aos 44 anos, no dia 21 de agosto de 1989, em razão de uma pancreatite aguda causada pelos abusos com a bebida.

O músico, baiano de Salvador, que sabia misturar como ninguém o rock à Música Popular Brasileira, era também uma figura irreverente e mística. Era essa mistura efervescente de esoterismo com um toque de ocultismo, pregação à vida alternativa e muita rebeldia, que fazia de Raulzito, como era conhecido, o líder de uma legião de seguidores. Muito além disso, havia também o homem, que se preocupava com o que acontecia no mundo e, principalmente, com as injustiças escancaradas na sociedade de sua geração, que por inúmeras vezes se calava diante da repressão imposta pela ditadura da época. 

Mas é o legado musical deixado pelo cantor e compositor que faz com que essas gerações de fãs gritem o famoso “Toca Raul!”, frase que ficou tão célebre quanto seu próprio personagem.

Confira oito músicas geniais que compõem o legado musical de Raulzito:

 Metamorfose Ambulante (1973)

Metamorfose Ambulante é uma das músicas mais conhecidas do artista e integra seu primeiro disco solo, intitulado “Krig-Ha, Bandolo!”, uma referência ao grito de guerra do personagem Tarzan.

Ouro de Tolo (1973)

Essa é mais uma do repertório do Maluco Beleza e, além de fazer uma crítica aos costumes da sociedade, faz menção aos “anos de chumbo” da ditadura militar, os quais foram acompanhados por um período de crescimento econômico, acumulação de riquezas para alguns e desigualdades entre a população.

Mosca na Sopa (1973)

Outro grande sucesso do músico, a música “Mosca na Sopa”, também foi lançada no período do regime militar. Com metáforas criativas, a letra denunciava o clima de opressão. Na música, a mosca parece representar as forças do regime, que estavam em todo o lugar, ameaçando, rondando, perseguindo.

Sociedade Alternativa (1974)

Outro grande sucesso do cantor , a música “Sociedade Alternativa”, foi composta pela dupla Raul Seixas e Paulo Coelho, e fala sobre uma comunidade utópica, contrastando os modos de vida ditados pela opressão do período da ditadura, com a liberdade que todos teriam na tal ‘sociedade alternativa’.

Medo da Chuva (1974)

A canção composta em parceria com o escritor Paulo Coelho, reflete sobre uma época conservadora e um dos seus principais alicerces: o casamento.

Tente outra vez (1975)

Uma das canções mais emocionantes de Raul Seixas, “Tente Outra Vez” é uma lição de resiliência. O artista escreveu o tema em colaboração com Marcelo Motta e Paulo Coelho, em homenagem ao amigo Geraldo Vandré.

Eu nasci há 10 mil anos atrás (1976)

Mais uma da parceria com Paulo Coelho, a música é baseada em uma música country com o mesmo título, ‘I Was Born About Ten Thousand Years Ago’, a qual foi gravada por Elvis Presley, em 1972.

Maluco Beleza (1977)

O título da canção virou um dos apelidos pelos quais o artista é conhecido até hoje por seu público. A letra simples carrega em seus versos uma mensagem revolucionária sobre onde em uma sociedade que vive de padrões e aparências, um sujeito diz ter rejeitado tal padrão. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: