MENU

A fisioterapia pediátrica e seu papel no desenvolvimento infantil

Profissionais de fisioterapia pediátrica atuam na prevenção e tratamento de desordens multifatoriais congênitas ou adquiridas

às 21h19
Compartilhe:

O nascimento de uma criança representa renovação para qualquer família. Algumas vezes, porém, ele traz consigo cuidados de saúde desde as primeiras horas e dias de vida, com internação e permanência prolongada no hospital. Em casos assim, além do tratamento específico para cada caso clínico, atua também a Fisioterapia Pediátrica e Neonatal. 

A Fisioterapia atua minimizando os efeitos da imobilidade no leito. Além dos recém-nascidos, de até 28 dias, ela atende bebês até dois anos, crianças e adolescentes até os 18 anos de idade. A observação desses períodos de vida é importante nesta área, pois há grandes diferenças na anatomia e na fisiologia dos órgãos e sistemas destes pequenos pacientes, em comparação aos dos adultos.

Tal diferenciação já demanda uma avaliação criteriosa em condições normais, o que se agrava ainda mais em casos de disfunções. Fisioterapeutas que tenham interesse pela neonatologia e pediatria precisam se manter atualizados dentro destes temas, para desenvolver os melhores planos de tratamento. 

Diferentes categorias

Existem subdivisões dentro da fisioterapia pediátrica, como a Ambulatorial, que prioriza a estimulação para o desenvolvimento neuromotor da criança, através de diversos procedimentos e terapias. Ela cuida de doenças e condições congênitas ou adquiridas, que demandam a ampliação da atenção do fisioterapeuta durante o processo de reabilitação.

Já os pacientes pediátricos com doenças ou lesões neurológicas precisam de Fisioterapia Neurofuncional. Suas técnicas envolvem a psicomotricidade, a estimulação precoce, o desenvolvimento neuromotor e a melhoria na amplitude de movimento articular, equilíbrio, coordenação motora e força. Trata doenças e lesões no âmbito clínico, como paralisia cerebral; distrofia muscular hidrocefalia, entre outras.

Existe ainda a especialidade de Fisioterapia em Traumato-ortopedia Pediátrica, que trata fraturas e luxações ao longo do crescimento e disfunções musculoesqueléticas. Nesses casos, recursos terapêuticos para reabilitação devem respeitar as particularidades do paciente, que por suas características infantis, nem sempre colaboram com o tratamento.   

Onde trabalhar

Fisioterapeutas especialistas em pediatria podem atuar em clínicas especializadas, bem como no cuidado infantil, em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), juntamente com diferentes profissionais. Quanto maior a diversidade de áreas, melhor o resultado. Uma equipe pediátrica multidisciplinar pode contar com médicos pediatras, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, entre outros, sendo cada um com sua importância na evolução do paciente.

Asscom | Grupo Tiradentes 

Compartilhe: