MENU

A Engenharia Civil e sua relevância social

Profissão que nunca sai de moda, Engenharia Civil está sempre se aliando à tecnologia para se reinventar e enfrentar desafios

às 19h58
Demandas das cidades e regiões em desenvolvimento vão exigir mais dos profissionais de Engenharia Civil (Pixabay)
Demandas das cidades e regiões em desenvolvimento vão exigir mais dos profissionais de Engenharia Civil (Pixabay)
A professora Marcela Hardman Côrtes, coordenadora pedagógica da Engenharia Civil da Unit Alagoas
Compartilhe:

A Engenharia Civil detém um papel estruturante no desenvolvimento de um país. É uma profissão responsável por realizações de interesse social e humano, regulamentada desde 1966, ou seja, possui lei própria que assegura o seu exercício em todo o território nacional. Esse fator é importante para o cumprimento de normas, inclusive salariais, não importando a localização geográfica. Parece óbvio dizer isso, mas a realidade é que nem todas as categorias profissionais já alcançaram a própria legislação.

Para exercer a profissão é necessário diploma, devidamente registrado, de faculdade ou escola superior oficiais ou reconhecidas. Existem cursos presenciais e de Ensino a Distância. Dados do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) atestam que, em todas as modalidades de engenharia existem 1,2 milhão de vagas no Brasil, sendo que mais da metade está no Ensino à Distância.

A formação profissional

 Na Engenharia Civil em particular, a preparação para formar um profissional dura em média cinco anos. As disciplinas abrangem as Ciências Exatas, como Física e Matemática, que vão ajudar nos cálculos, mas também estuda Tipografia, Geologia e Mineralogia. O aluno vai aprender desde as estruturas químicas dos materiais, passando por conhecimentos sobre eletricidade e hidrologia, até a execução, gestão e a legislação de obras. Verá ainda tecnologias para a construção, sistemas de drenagem, instalações prediais, entre outras matérias.

Tudo isso vai preparar o profissional para atuar nos cálculos, planejamento e execução de novas obras, mas também na manutenção de infraestruturas já existentes. É o profissional que vai garantir a segurança das edificações. Por tamanha responsabilidade, a exigência durante a formação é a ela proporcional.

Desafios da carreira

No século 21 pesquisadores da área apresentam grandes desafios que vão ao encontro da criatividade e do comprometimento. Um desses desafios é a manutenção da infraestrutura das cidades, cuja prevenção ao processo de envelhecimento requer planejamento.

A área é aliada da tecnologia, por isso está sempre atualizando técnicas e procedimentos, pesquisando e descobrindo os melhores materiais. Busca não apenas resistência e durabilidade, mas também conformidade com os valores e interesses sociais, que se relacionam com o equilíbrio socioambiental, a sustentabilidade dos espaços habitacionais e da mobilidade urbana. 

A Engenharia Civil é um curso que nunca sai de moda. A área deve estar sempre pronta, com serviços técnicos especializados para enfrentar atuais e novas necessidades que surgem em qualquer lugar onde exista uma edificação ou a necessidade de uma.

Mercado de Trabalho

O curso mantém há muitos anos uma boa colocação, estando entre as carreiras melhor remuneradas do país. O piso salarial da categoria, ou seja, o mínimo que um engenheiro civil pode receber, é de 8,5 salários-mínimos para uma jornada de 8 horas diárias. Com a recente Lei Nº 13.429/2017, os engenheiros civis também podem trabalhar como terceirizados ou como pessoa jurídica, regido pelo Código Civil, além da tradicional CLT.  

Os engenheiros civis contam com esta uma instância superior – o Confea, bem como os Conselhos Regionais (Crea) para fiscalizar o exercício da profissão. O Confea registra mais de um milhão de profissionais e mais de 250 mil empresas no Brasil.

Engenharia na Unit

“A engenharia civil da Unit é um curso diferenciado. Temos foco em atuação em vários campos de trabalho dentro da área. Nossos alunos adquirem competências e habilidades para atuar não apenas como técnicos e projetistas, mas também como gestores, engenheiros de campo, além de serem preparados para todos os desafios do novo mercado de trabalho. Esse novo mercado tem um cenário desafiador, pois novas competências estão sendo necessárias. A UNIT sempre está disposta a inovar e buscar as melhores formas de ensino, se tornando cada vez mais adaptável a essas mudanças, de maneira que o aluno possa aprender na prática a enfrentar tais desafios. E esses desafios envolvem capacidades de atuação em diversos setores como, liderança, comunicação e proatividade, competências essas bem desenvolvidas em nossos alunos”, afirma a coordenadora Marcela Hardman.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: