MENU

Projeto Justiça Restaurativa na Violência Doméstica é lançado nesta sexta-feira

Atividade contemplará alunos de Direito, Psicologia e Serviço Social

às 21h32
O Centro Universitário Tiradentes – Unit por meio dos cursos de Direito, Psicologia e Serviço Social, participa do lançamento do Projeto Justiça Restaurativa na Violência Doméstica. O evento acontece nesta sexta-feira, 10h, no Juizado Especial da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, localizado no centro da capital Alagoana.
Compartilhe:

O projeto será realizado pelo Poder Judiciário Alagoano em parceria com a Unit, por força do convênio assinado pela reitoria, no mês de janeiro de 2018, na Presidência do Tribunal. Onde na oportunidade promoveu a participação de três cursos da Instituição de Ensino Superior – IES: Direito, Psicologia e Serviço Social, de forma interdisciplinar, propiciando uma formação humanística dos nossos alunos, que terão a oportunidade de trabalhar com a resolução consensual de conflito no âmbito da justiça criminal.

A iniciativa é contínua: a Justiça Restaurativa funcionará às segundas e quartas a tarde, no referido Juizado especial. Os alunos do Curso de Direito serão os facilitadores dos métodos da Justiça Restaurativa, supervisionados por uma professora orientadora e por um servidor do Tribunal de Justiça, devidamente capacitados. Os alunos do curso de psicologia e serviço social também atuarão nesses dias, supervisionados por suas professoras, que também serão capacitadas, dando o apoio técnico e interdisciplinar aos usuários da justiça restaurativa.

“Nesse sistema, a vítima é comumente tratada como mera partícipe do processo e praticamente não atua nele. E, será através do empoderamento da mulher, vítima de violência doméstica, que os alunos do Curso de Direito, de Psicologia e Serviço Social vão trabalhar em conjunto com o Poder Judiciário, buscando auxiliá-lo na resolução efetiva de conflito existente entre vítima e ofensor no Juizado de Violência Doméstica. Sendo assim, trata-se de uma oportunidade de na academia nossos alunos conhecer, aprofundar e vivenciar os meios autocompositivos de solução de conflito, não somente na esfera cível, mas também na esfera criminal”, afirma a coordenadora do curso de Direito, Karoline Mafra.

A Coordenadora do Núcleo de Prática Jurídica, Rita Regis, esclarece a relevância da Justiça Restaurativa. “Através deste projeto, corroborando com as palavras da coordenadora do Curso de Direito, o nosso aluno terá a oportunidade de aprofundar e vivenciar a prática dos métodos autocompositivos, contribuindo para o fomento das competências e habilidades necessárias ao desenvolvimento da resolução consensual das disputas, especificamente, no âmbito da Justiça Criminal”.

Segundo a coordenadora de Psicologia, Elisabete Macedo, a participação do curso de Psicologia na criação e implantação do Núcleo de Justiça Restaurativa apresenta-se como uma incipiente experiência na área da Justiça Restaurativa e como frutífero campo de atuação dos alunos. Sob a supervisão de uma professora, poderão oferecer à vítima um cuidado e acolhimento de sua dor, bem como a oportunidade de ressignificação e restituição de dano.

No lançamento, haverá a presença do reitor Dario Arcanjo de Santana; membros da Defensoria Pública; membros do Ministério Público e Membros do Poder Judiciários: o magistrado Paulo Zacarias – Juiz Titular do 4º Juizado Especial; José Miranda Santos Junior – Juiz Auxiliar do 4º Juizado Especial; Marcella Pontes de Mendonça – Juíza de Direito.

“Tendo em vista a importância do trabalho multidisciplinar junto às vítimas de violência doméstica, o Serviço Social também atuará no projeto da Justiça Restaurativa. Será realizado acompanhamento social, onde os alunos, sob supervisão da professora, poderão acompanhar a realização de estudos sociais, visitas institucionais e encaminhamentos para rede de atenção à mulher, mediando o acesso aos direitos e assim contribuindo para o fortalecimento da identidade e autonomia da mulher”, ressalta a Coordenadora do curso de Serviço Social Mayra Vilar.

“Agradecemos a Unit pelo grande apoio, porque sem esse suporte incondicional tudo isso não seria possível! A função da justiça restaurativa é atender a população, não é conciliar, ela acalma as pessoas, para que cada um siga seu caminho, sozinho ou separado. Estamos ampliando nossa assistência para atender os filhos das mulheres vítimas de violências e temos a certeza de que o futuro será ainda mais promissor. Nosso plano é longo, isso é apenas o começo”, destacou o Juiz José Miranda.

“Esse projeto nasceu há 3 anos quando a gente pensava em como inovar com o NPJ, e após muitas pesquisas a gente conseguiu chegar até aqui. Nosso objetivo é fazer com que nosso aluno saia da faculdade capacitado para fazer a diferença e ajudar a sociedade. Nossa missão é resolver a vida do ser humano e trabalhar com eles é nossa responsabilidade social enquanto operadores do direito”, ressalta a coordenadora do curso de direito Karoline Mafra.

“A Unit desde a sua implantação colocou como compromisso o desenvolvimento do estado de alagoas. Entendemos enquanto instituição de ensino superior que o conhecimento só tem importância quando ele pode ajudar a sociedade e esse é a nossa orientação. Nossos alunos precisam conhecer e contribuir com o desenvolvendo das pessoas e estamos juntos com o Tribunal, sempre que precisar contem conosco”, finaliza o Reitor Dario Arcanjo de Santana.

Compartilhe: