MENU

Professores do Mestrado e egressa da Engenharia publicam livro virtual

O ebook é resultado de uma pesquisa financiada pelo CNPq

às 17h14
Uma pesquisa coordenada entre os anos de 2013 e 2016 pelo Professor Dr. Diego F. Rodrigues, com a colaboração da egressa do curso de Engenharia Ambiental Tainá Lima e o Professor Dr. Edson Struminski (in memoriam), foi publicada pela Editora Tiradentes.
Compartilhe:

A obra encontra-se disponível para download através do link: https://editoratiradentes.com.br/adm/wp-content/uploads/2017/08/licencas_para_degradar_impactos_socioambientais_de_mineracao_na_america_do_sul_e-book_edunit.pdf.

O objetivo da pesquisa foi de mapear os impactos ambientais e sociais da mineração em três países sul americanos: Brasil, Colômbia e Peru. De acordo com o professor Diego F. Rodrigues, na oportunidade, foram realizadas pesquisas de campo onde foram identificados processos de impactos de alta magnitude, o que resultou em diversos conflitos nas regiões estudadas.

O professor Diego F. Rodrigues relembra do maior crime ambiental do século no Brasil, e do caráter demasiado predatório e degradante da prática. “Quando pensamos nos desastres ambientais e sociais causados pela mineração, como o desastre produzido pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, nos deparamos com a necessidade de responder a uma pergunta: é a mineração um ‘mal’ necessário?”. “Como coordenador do projeto, posso assegurar que a mineração acarreta inúmeros impactos ambientais e sociais e pode ser entendida como um “mal necessário”. E o “mal” se faz necessário diante da demanda cada vez maior por commodities minerais, com as mais variadas finalidades, o que implicou nos casos estudados em muitas práticas desastrosas de gestão ambiental comum aos países, estimulado conflitos envolvendo comunidades e mineradoras”, afirma o pesquisador do Mestrado em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas da UNIT- AL.

Bolsista de Iniciação Científica desde 2013, Tainá Lima conta que trabalhou como bolsista no projeto desde o início em 2013 e buscou se especializar na área de Avaliação de Impactos Ambientais, especialmente pela mineração na Amazônia e que sua colaboração se deu através do conjunto de banners, artigo e relatórios feitos. Para ela, a experiência foi positiva, pois acrescentou conhecimento na área de avaliação de impacto, sobre a gestão de unidades de conservação e licenciamento ambiental.

 “De modo geral, a pesquisa me ajudou a escolher a maior área de afinidade com a engenharia, inclusive meu TCC foi sobre o uso do Google Earth na área de Avaliação de Impactos Ambientais, retratando o caso do desastre da Mineradora Samarco na bacia do Rio Doce em Minas Gerais e Espírito Santo. “Usamos bastante o programa durante a pesquisa, e essa mesma ideia será desenvolvida para o projeto de mestrado”, diz a ex-aluna.

Compartilhe: